Rodada 11: Sapo longe do topo e Guarani como ‘melhor do Brasil’

Foto: Dorival Rosa/Portuguesa

A 11ª rodada da Série C do Campeonato Brasileiro terminou nesta segunda-feira (1º). O Salgueiro venceu o ABC-RN por 1 a 0 e encostou no G4 do Grupo 1. Se a chave da ‘parte de cima’ está equilibradíssima, o mesmo não se pode dizer do grupo ‘Sul-Sudeste’. A diferença do líder Guarani para o quinto colocado Tombense já é de oito pontos. O Bugre tem 24, e com um aproveitamento de 72% lidera este quesito entre os clubes das três principais divisões do Campeonato Brasileiro. O Corinthians, que lidera a Série A, tem 64% e o Vasco, líder da Série B, 70%.

Mérito de uma arrancada que começou após a derrota para o Mogi Mirim, na penúltima rodada do primeiro turno. Desde o revés por 1 a 0 no Vail Chaves, o Bugre venceu os três jogos que fez: 2 a 1 no Ypiranga-RS, 1 a 0 no Guaratinguetá e 2 a 0 no Tombense. Resultados pragmáticos, mas que fizeram o Guarani abrir oito pontos de vantagem daquele que empatou em pontos com ele após a oitava rodada. O Sapo perdeu para Juventude e Portuguesa e empatou com o Botafogo (este jogo, em casa).

A sucessão de maus resultados fez o time treinado por Leston Júnior cair da vice-liderança para a sexta posição. E com a ascensão de Boa Esporte e Juventude, o Mogi está, atualmente, a dois pontos do G4. No sábado (30), fez duelo nivelado por baixo com Lusa. Confronto que poderia ter terminado com a vitória de qualquer lado ou até mesmo sem gols. Mas o imponderável surgiu. Bruno Mineiro superou um jejum de gols e marcou contra o time que poderia estar defendendo hoje. Em janeiro, chegou a ser anunciado como reforço do Sapo. Porém, devido a um problema grave de saúde da filha, pediu para não se apresentar. Quando a menina melhorou, o Mogi não vi necessidade tão clara de contratá-lo e ele fechou com a Lusa, clube que se destacou em 2012.

O gol de Bruno Mineiro não impede o Sapo de ter a segunda melhor defesa da Série C. O problema é que o ataque, com nove gols, é o terceiro pior. A equipe precisa de gás novo. Quem sabe até reforços. Novas peças podem ser inscritas até o final de setembro. Até lá é preciso se virar com o aguerrido, mas não muito artilheiro time. E vencer jogos em casa. No sábado (6), há a obrigação de bater o Guaratinguetá, lanterna e virtual rebaixado. Por mais que o Guará tenha evoluído, ainda é uma presa a ser derrubada.

Para aumentar a pressão pelo triunfo, basta olhar a tabela. O Sapo tem 16 pontos, situação idêntica à do Tombense. O Ypiranga, com 14, está logo atrás. Portuguesa (11) e Macaé (10), que brigam contra o rebaixamento, não estão tão distantes e uma dose de precaução não fará mal a ninguém. No Grupo 1, quem tem 16 pontos também está fora do G4. Porém, a diferença de ASA e Salgueiro para o líder Fortaleza é de apenas três pontos. Botafogo-PB (18), ABC (17) e Remo (17) completam o grupo que se classificaria para a próxima e decisiva fase. Na parte baixa, a briga parece estar entre quatro times. América-RN (13) e Confiança (11) estão fora do Z2. Já River-PI (10) e Cuiabá (9) estariam rebaixados. Cenário mais equilibrado e tenso que no Grupo 2. Tudo isso a sete rodadas do final…

Next Post

Cuca quer que Palmeiras recupere o embalo no Brasileirão

ter ago 2 , 2016
Foto: Fábio Menotti/Ag. Palmeiras A derrota por 3 a 1 para o Botafogo, no último domingo (31), no Rio de Janeiro (RJ), fez o Palmeiras deixar a liderança do Campeonato Brasileiro e passar a ocupar a terceira colocação na tabela do torneio nacional. Suspenso diante dos cariocas, o técnico Cuca […]