Guaçu: Propostas do prefeito para o esporte

Neste domingo, 02, os eleitores de todo o Brasil foram as urnas para escolher os prefeitos e vereadores que vão comandar as cidades pelos próximos quatro anos.  Na sexta-feira anterior, 30, o GRANDE JOGADA havia trazido em sua versão impressa entrevistas com as propostas para o Esporte de todos os candidatos que disputavam a Prefeitura nas cidades de Mogi Mirim, Mogi Guaçu e Itapira. Agora, aqui no site, você confere as propostas dos vencedores do pleito. Confira a entrevista com o candidato reeleito em Mogi Guaçu, Walter Caveanha  (PTB).

 

WALTER CAVEANHA

(Walter Caveanha)

Partido: PTB

Vice-Prefeito: Daniel Rossi

 

Grande Jogada: Como você avalia a atual situação do esporte na sua cidade?

Walter Caveanha: Houve importantes progressos durante a atual gestão. Incorporamos novas modalidades através de escolinhas de judô e taekwondo, que reúnem em torno de 600 adolescentes, por exemplo. Recebemos renomados atletas de diversas modalidades em clínicas viabilizadas mediante parcerias com o Sesc (Serviço Social do Comércio), sediamos por duas vezes os JORI (Jogos Regionais dos Idosos) e a cidade se fez representar em Jogos Regionais, com bom desempenho. Foi um período produtivo, mesmo que limitado pela escassez de recursos, determinada fundamentalmente pela dívida recebida da administração anterior de R$ 127 milhões.

 

Grande Jogada: Quais são seus principais projetos para o setor?

Walter Caveanha: Sob o ponto de vista de investimento físico, muito vai depender da evolução da macroeconomia, cuja crise está afetando duramente as nossas finanças. É prevista a construção de um centro esportivo nas Chácaras Alvorada, única região do Município ainda desprovida de tal equipamento. Aguardamos liberação de recursos do Governo Federal, já aprovados, para a construção de um CIE (Centro de Iniciação ao Esporte), que já tem projeto pronto e local definido. O incremento às escolinhas será ponto prioritário, não só pela vertente de formar atletas para o futuro, mas também para proporcionar atividades que distanciem nossa juventude dos perigos das drogas.

 

Grande Jogada: Muito se fala que o esporte é uma importante ferramenta para evitar problemas de violência, saúde, entre tantos outros. O que pretende oferecer para as crianças para envolvê-las neste estilo de vida saudável que pode render frutos para o futuro?

Walter Caveanha: Como está observado na resposta anterior, temos como filosofia que o esporte deva ser um instrumento de integração social, que seja capaz de criar hábitos saudáveis, estabelecer relações socio-comunitárias desde cedo, promover a conscientização da importância da atividade física, inclusive para a mente, dentro do conceito de ‘mente sã, corpo são’. Nesse sentido, também contribuem os programas de lazer, levados aos bairros de todos os quadrantes da cidade, os quais deverão ser incentivados.

 

Grande Jogada: O esporte é uma das pastas que menos conta com receita. Como driblar esta situação para garantir os investimentos necessários?

Walter Caveanha: Uma observação inicial. Não é o fato de o esporte desfrutar de recursos modestos, mas a necessidade nestes últimos três anos e meio, de atribuir prioridade a áreas encontradas em profundo estado de carência. Para exemplificar, os investimentos na Educação somam 28% do Orçamento. Na Saúde, são outros 33%. E, face à crise nacional, a receita, pior do que estagnar, sofre retração. Relativamente ao Esporte, a alternativa, que já vem sendo praticada, é a da parceria com entidades, instituições e a iniciativa privada. Inúmeros programas são desenvolvidos através dessa interação. Empresas industriais têm sido muito receptivas a esse chamado.

 

Grande Jogada: Hoje, os ginásios e praças esportivas contam com necessidade de reformas e ampliações. Qual seu compromisso a respeito do assunto?

Walter Caveanha: As medidas para a conservação e melhoria dos equipamentos esportivos precisam ser permanentes, continuadas. Não foi o que verificamos a assumir a Prefeitura em janeiro de 2013. De todo modo, algumas reformas foram executadas, recuperando campos de futebol e quadras esportivas. O ginásio do Furno, por exemplo, recebeu novo piso, de primeira qualidade, permitindo que pudesse voltar a ser utilizado, o que não ocorria há pelo menos dois anos quando assumimos a administração. Há fontes de recursos nas esferas do Estado e da União, as quais vamos nos dirigir na busca de meios financeiros para as melhorias que nossos equipamentos esportivos necessitam.

 

Grande Jogada: Novos ginásios, campos ou praças de outros esportes serão construídos em sua gestão? Quais bairros terão prioridade?

Walter Caveanha: O tema foi tratado em resposta anterior. De todo modo, julgo esclarecedor lembrar que o Orçamento de 2017 não deverá incorporar crescimento, mas apenas a correção inflacionária deste exercício. Por consequência, a capacidade de investimento da Prefeitura ainda permanecerá limitada, para esta e outras finalidades. Não deve ser esquecido, por último, que Mogi Guaçu possui uma rede de centros esportivos bastante ampla, incluindo ginásios, campos de futebol, piscina, pistas de atletismo, atendendo a praticamente todas as regiões da cidade, inclusive ao distrito de Martinho Prado.

 

Grande Jogada: Como o esporte será tratado na escola? Como lazer ou ferramenta de educação e de prospecção de jovens talentos?

Walter Caveanha: Já existem projetos sendo executados em direta articulação entre as secretarias de Esportes e de Educação. A prospecção de talentos é um vertente, mas o caráter da política nessa área é eminentemente social, operando no sentido da formação integral do cidadão.

 

Grande Jogada: Atualmente os campeonatos de futebol são organizados pela Secretaria de Esportes. Eles seguirão com a pasta ou alguma liga será criada?

Walter Caveanha: As competições de futebol amador seguirão sendo promovidas pela Prefeitura, através da Secretaria de Esportes. A organização de liga ou entidade semelhante depende exclusivamente da comunidade, a quem cabe a iniciativa de fazê-lo, já que são organizações privadas.

 

Grande Jogada: O estádio do Camacho está interditado pela Federação Paulista de Futebol há mais de três anos? Seu governo irá trabalhar para que o estádio seja liberado? Quando ele estará em condições de ser liberado?

Walter Caveanha: O Estádio Municipal “Alexandre Augusto Camacho” é um patrimônio público que, como tal, não pode ser ignorado. Ocorre que as exigências da entidade futebolística estadual para a ampliação de sua capacidade importam custos de cobertura inviável em momento de escassez financeira. A questão será reexaminada, no interesse pela realização das melhorias. Não é possível prever a ocasião em que a liberação possa ocorrer.

 

Grande Jogada: Qual será a relação da Prefeitura com o Atlético Guaçuano?

Walter Caveanha: O Clube Atlético Guaçuano é um patrimônio da cidade. Tive a honra e guardo lembranças do tempo em que fui atleta da agremiação, pela qual tenho estima e admiração. A relação com o clube, como sempre foi, será institucional. Isto é, de acordo com o que a legislação pertinente à administração pública estabelece. É de nosso interesse que seja a mais harmoniosa possível.

 

 

 

 

Next Post

Mogi: Propostas do prefeito eleito para o esporte

ter out 4 , 2016
Neste domingo, 02, os eleitores de todo o Brasil foram as urnas para escolher os prefeitos e vereadores que vão comandar as cidades pelos próximos quatro anos.  Na sexta-feira anterior, 30, o GRANDE JOGADA havia trazido em sua versão impressa entrevistas com as propostas para o Esporte de todos os […]