Mogi: Propostas do prefeito eleito para o esporte

Neste domingo, 02, os eleitores de todo o Brasil foram as urnas para escolher os prefeitos e vereadores que vão comandar as cidades pelos próximos quatro anos.  Na sexta-feira anterior, 30, o GRANDE JOGADA havia trazido em sua versão impressa entrevistas com as propostas para o Esporte de todos os candidatos que disputavam a Prefeitura nas cidades de Mogi Mirim, Mogi Guaçu e Itapira. Agora, aqui no site, você confere as propostas dos vencedores do pleito. Confira a entrevista com o candidato eleito em Mogi Mirim, Carlos Nelson Bueno (PSDB).

 

CARLOS NELSON

(Carlos Nelson Bueno)

Partido: PSDB

Vice-Prefeita: Lúcia Maria Ferreira Tenório (Dra. Lúcia Tenório)

 

Grande Jogada: Como você avalia a atual situação do esporte na sua cidade?

Carlos Nelson: Atualmente o esporte vive da força de vontade de pessoas abnegadas, incluindo entre elas os servidores municipais, que fazem isso por paixão. Pretendemos oferecer condições para que as ações existentes sejam ampliadas e que clubes e associações tenham possibilidade de implantar novos projetos.

 

Grande Jogada: Quais são seus principais projetos para o setor?

Carlos Nelson: A integração entre a educação e o esporte será nossa grande bandeira. Criaremos a Olimpíada da Juventude e várias edições de jogos pré-olímpicos durante o ano, tendo em vista que as competições saudáveis ampliam o interesse do jovem para a prática esportiva. Nestes eventos, os treinadores das diferentes escolinhas mantidas pela prefeitura terão a oportunidade de observar e captar novos talentos que possam representar a cidade em competições regionais. Vamos desenvolver parcerias que possibilitem que os estudantes estejam engajados na prática esportiva no período contrário à escola. Uma espécie de “adote um atleta”, com uma contrapartida ainda a ser estudada para a instituição que oferecer seu espaço físico e estrutura profissional para o estudante/atleta. Outra proposta é a utilização plena dos espaços disponíveis, com parcerias com os clubes privados, academias, com a FATEC e com o Centro Lucy Montoro. No centro Lucy Montoro, pretendemos criar condições para a implantação de um centro de formação de atletas paralímpicos. Outra proposta é a reativação do circuito de corridas e caminhadas, percorrendo mês a mês, todos os bairros da cidade. A manutenção e a ampliação das academias ao ar livre também será destaque, já que percebemos a grande aceitação que as pessoas têm por estes espaços.

 

Grande Jogada: Muito se fala que o esporte é uma importante ferramenta para evitar problemas de violência, saúde, entre tantos outros. O que pretende oferecer para as crianças para envolvê-las neste estilo de vida saudável que pode render frutos para o futuro?

Carlos Nelson: Como já apontamos, a integração Escola/Esporte será fundamental para isso. Pretendemos dar condições para que projetos bem sucedidos como o de Jiu Jitsu mantido pela Policia Militar seja levado para vários cantos da cidade. A participação de ONGs e Associações comunitárias é importante para auxiliar no engajamento dos jovens e adolescentes.

 

Grande Jogada: O esporte é uma das pastas que menos conta com receita. Como driblar esta situação para garantir os investimentos necessários?

Carlos Nelson: Criatividade é a palavra chave para está área. É preciso usar o esporte como marketing social, ou seja, usar seu poder positivo para obtenção de recursos da iniciativa privada. Explorar as leis de incentivo ao esporte na sua totalidade, com projetos bem elaborados e de forma contínua.

 

Grande Jogada: Hoje, os ginásios e praças esportivas contam com necessidade de reformas e ampliações. Qual seu compromisso a respeito do assunto? Novos ginásios, campos ou praças de outros esportes serão construídos em sua gestão?

Carlos Nelson: O setor de serviços municipais terá uma equipe de manutenção continua para praças e jardins. Será essa equipe que aos poucos irá recuperar os espaços esportivos e de lazer da cidade. É impossível, neste momento, assumir qualquer compromisso de construção de novos campos, praças esportivas ou ginásios. A necessidade atual é dar manutenção e recuperar os existentes. É claro que havendo possibilidade, vamos buscar linhas de crédito ou financiamentos que possam contemplar novos espaços. Aliás, no final de nosso governo, deixamos pronto projeto para a construção de uma arena multiuso e que, infelizmente, e não sabemos o porquê, foi deixado de lado.

 

Grande Jogada: Como o esporte será tratado na escola? Como lazer ou ferramenta de educação e de prospecção de jovens talentos?

Carlos Nelson: O esporte será um grande parceiro na educação, muito mais que apenas uma disciplina. Vamos implantar as Olimpíadas da Juventude, um evento grandioso, envolvendo todas as escolas do município. A proposta é que eventos menores sejam preparatórios para a OJ e que isso torne as aulas de educação física muito mais atrativas. É claro que com a massificação de eventos, os profissionais da secretaria de esportes estarão atentos ao surgimento de talentos.

 

Grande Jogada: Atualmente o futebol amador é organizado pela Lifamm (Liga de Futebol Amador de Mogi Mirim). Ela seguirá à frente da modalidade ou ele será incorporado pela Prefeitura?

Carlos Nelson: A LIFAMM desenvolve um importante trabalho e deverá continuar a promover os campeonatos do futebol amador, sempre com a supervisão da Prefeitura no tocante as verbas destinadas.

 

Grande Jogada: O NIAS (Núcleo Integrado de Assistência Social) foi inaugurado em 2012 e está abandonado. Como a sua gestão irá lidar para transformar o local em funcional e não mais em abrigo para usuários de drogas?

Carlos Nelson: O NIAS será reformado. Mas antes de entregá-lo novamente a população precisamos montar uma zeladoria. A ideia é que projetos sociais usem o local como sede e se sintam “donos” do local. Estes projetos mantidos por ONGs e associações devem preencher todo o tempo de uso do local, assim mantendo afastadas pessoas mal intencionadas.

 

Grande Jogada: Como o seu governo irá atuar junto ao Mogi Mirim Esporte Clube? É possível se criar algum tipo de parceria com o Mogi?

Carlos Nelson: O Mogi Mirim pode ser um importante parceiro do município. É um time de futebol que representa a cidade por todo o Brasil. Seria interessante que seus jogadores e representantes estivessem presentes no dia a dia das escolas e eventos que vamos promover para as crianças, despertando ainda mais nelas o desejo de praticar esportes e quem sabe se tornar um atleta profissional. A estrutura do Mogi Mirim também poderia se abrir para que as crianças pudessem conhecer o dia a dia do esporte profissional e se sintam motivadas. Para as categorias de base do Mogi Mirim pretendemos continuar disponibilizando os campos municipais para a realização de treinamentos. O time pode ser usado como próximo passo natural dos alunos das escolinhas de futebol mantidas pela prefeitura.

 

Next Post

ESTILO DE VIDA: ESCOLHA SEU DIFÍCIL

ter out 4 , 2016
Elaine Cristina Navarro* Todos os dias me deparo com pessoas dizendo que ter uma dieta equilibrada é difícil, que ter um estilo de vida saudável e manter uma rotina de exercícios físicos também é difícil. Que é difícil conviver com a obesidade, com a hipertensão, com a diabetes ou com […]