ESTILO DE VIDA: DISTÚRBIOS ALIMENTARES

Elaine Cristina Navarro*

 

Hoje vamos falar sobre um assunto muito sério e que vem se tornando muito comum nos dias atuais, os distúrbios alimentares. Eles podem ser tratados, principalmente se detectados logo no começo. Mas o que são distúrbios alimentares? São doenças mentais que podem causar vários prejuízos a saúde das pessoas, que podem comer excessivamente ou extremamente pouco, ser obcecado pela alimentação saudável ou exercitar-se de forma exagerada.

Dietas da moda e a obsessão pelo corpo dos sonhos podem afetar as pessoas emocionalmente que muitas vezes não percebem que estão com tais distúrbios. Além de comer de forma desregrada os distúrbios alimentares são associados geralmente por quadros depressivos e de ansiedade, que podem levar as pessoas a utilizar também medicamentos, bebidas e outras substâncias em busca do seu objetivo. As pessoas mais afetadas pelos distúrbios alimentares geralmente são adolescentes e mulheres, mas também afetam os homens. Dependendo da idade da pessoa, pode causar infertilidade, problemas no crescimento, desordens emocionais e até a morte precoce.

O tratamento geralmente ocorre por equipe multidisciplinar, pois dependendo do quadro do paciente é necessária intervenção médica, nutricional, psicológica e em alguns casos, outros profissionais e hospitalização são indicados para conseguir o restabelecimento da pessoa. Os distúrbios mais conhecidos são a Compulsão Alimentar, Anorexia Nervosa, Bulimia e atualmente a Vigorexia e a Ortorexia. Vamos conhecer um pouco sobre elas? *Compulsão Alimentar – É a necessidade de comer demasiadamente mesmo sem sentir fome. As pessoas com compulsão alimentar não deixam de se alimentar apesar de estarem satisfeitas, geralmente o fazem em grandes quantidades e em pouco tempo. Estresse, desequilíbrio emocional e problemas com a imagem corporal podem desencadear a perda de controle da pessoa.

*Anorexia Nervosa – O medo excessivo com o ganho de peso leva a pessoa com Anorexia a consumir baixas quantidades de alimentos e alguns caso até jejuar. A pessoa com esse distúrbio se olha no espelho e mesmo estando extremamente magra, se enxerga gorda, o que causa um problema com sua imagem pessoal. O fato da pessoa se enxergar obesa a leva a fazer atividades físicas excessivas, tomar laxantes e diuréticos para não ganhar peso. Em muitos casos também desenvolvem Bulimia.

* Bulimia – A oscilação entre a ingestão exagerada de alimentos e um sentimento de perda de controle sobre a dieta faz com que pessoas com bulimia forcem vômitos em busca de “retirar” do seu corpo o alimento ingerido, em alguns casos também são utilizados laxantes e diuréticos para impedir o ganho de peso. Algumas pessoas com anorexia recorrem à bulimia quando acham que comeram excessivamente ou por que simplesmente se alimentaram.

*Vigorexia – Este distúrbio geralmente presente nos homens ocorre quando o individuo está insatisfeito com sua forma física. Em muitos casos, homens que já tem uma rotina de treino de musculação regrada e acham que o ganho de massa muscular não está dentro do esperado. Pessoas com esse transtorno costumam treinar exaustivamente e por causa de sua insatisfação recorrem a dietas muito restritas e uso de substâncias para perder gordura ou ganhar massa muscular.

*Ortorexia – O objetivo das pessoas com Ortorexia nem sempre é de perder peso, mas sim a busca obsessiva por se alimentar de forma saudável ou a busca de curas através de alimentos. Ao contrário do que se pensa, esse distúrbio também pode afetar a saúde e a vida das pessoas, pois restrições alimentares se fazem presente e a pessoa passa a ingerir somente o que acha que é aceitável para uma vida “saudável”, podendo causar deficiências no organismo. A vida social também pode ser afetada, uma vez que o individuo deixa de realizar atividades com seus amigos e familiares, para não comer alimentos fora da dieta que ela mesma estabeleceu.

A principal causa da maioria dos distúrbios alimentares é a busca pelo corpo perfeito, a aceitação da sociedade num mundo preconceituoso onde o obeso é preguiçoso, o magro não é saudável e onde pessoas que não se encaixam nos padrões de beleza estabelecidos, se sentem excluídos. Esses transtornos podem ser detectados por familiares na maioria das vezes e deve ser tratado o quanto antes. Terapias ajudarão muito, mas a informação e o apoio familiar são essenciais para a cura.

 

*Elaine Cristina Navarro é estudante de pedagogia e tem uma página de motivação ao emagrecimento saudável

Next Post

Esporte Para-Todos: As lições da Rio 16 

qua out 12 , 2016
Luiz Filipe Guarnieri Manara* Olá, meus amigos. A Paralimpíada Rio 2016 ficou para trás, e será lembrada por todos como uma verdadeira festa do esporte em todos os sentidos. Seus números mostram isso. Foram mais de 2 milhões de ingressos vendidos, superando a Olimpíada, além de um outro dado no mínimo […]