Carvalho e Albano completam ironman no Havaí

Crédito da foto: Mundo tri

O desafio de encarar 226 quilômetros sequenciais na prova mais nobre do ironman foi concluída pelos mogimirianos Fábio Carvalho e Ivan Albano. No sábado (8), eles participaram do Mundial de Ironman, em Kona, no Havaí. Carvalho foi um dos três brasileiros na categoria elite.

O mogimiriano, integrante da Team Bravo, fechou a prova em 10 horas, 21 minutos e 43 segundos. Ele foi o 43º em sua categoria e passou por inúmeros problemas. “Não nadei no grupo que costumo nadar. Saí dois segundos atrás, porém, ainda estava na prova. No começo da bike, senti que a minha não estava andando e vi que o freio traseiro estava pegando. Parei para arrumar, mas sem sucesso”.

Alguns minutos depois, parou novamente e com o auxílio do mecânico da prova, que trocou a roda da sua bike. “Perdi todos os grupos e pedalei os 180 quilômetros sozinho. Além disso, a alimentação não caiu bem e, a partir da metade da bike, sofri com diarreia”, contou o triatleta. Quando saiu da bicicleta, Carvalho estava bem, mas, logo após a partir d ameia maratona (21 quilômetros) teve que caminhar muito. “Fui até o final só para completar mesmo. Meu corpo não estava legal”, completou. Ainda na elite, o brasileiro Igor Amorelli não completou a prova e no feminino, Ariane Monticelli cruzou a linha de chegada em 10 horas, 9 minutos e 15 segundos.

Entre os amadores, Ivan Albano foi o segundo melhor brasileiro na faixa etária de 40 a 44 anos. O mogimiriano fechou os 226 quilômetros em 9 horas, 33 minutos e 32 segundos. Albano foi o 24º colocado em sua categoria. O melhor amador brasileiro na classificação geral foi Antônio Ferreira, o Toni, com o tempo de 9 horas, 22 minutos e 7 segundos.

Ele conquistou a 23ª colocação na categoria 35-39 anos e a 103ª colocação na classificação geral. A melhor amadora brasileira na classificação geral foi Maria Cecília Carvalho com o tempo de 10 horas, 24 minutos e 28 segundos, conquistando a nona colocação na categoria 25-29 anos, a 61ª colocação entre todas as mulheres da prova e a 716ª colocação na classificação geral.

Next Post

Interbairros e Copa Virgolino agitam a criançada

sex out 14 , 2016
Jogar futebol. Para muitos, uma obrigação. Para outros, um ganha-pão. Para a criançada, uma forma de interação social e de brincar. Boa parte daqueles que ainda sonham em, um dia, ter esta modalidade como ganha-pão, já sabem levar o esporte como obrigação e diversão. Em Itapira, o futebol é rotina […]