O Mogi virou retardatário

A falta de agilidade da atual diretoria na montagem do grupo que disputará a Série A2 do Mogi Mirim tem tornado o cenário pessimista para 2017. O Sapo ainda não confirmou quem será o novo técnico e não anunciou reforços. A tendência apresentada pela falta de opções é de que Mário Júnior, auxiliar técnico, seja efetivado para a função.
O treinador trabalhou no Duque de Caxias com o presidente Luiz Henrique de Oliveira, clube que caiu duas vezes de divisão na gestão do atual mandatário do Sapo. O clube chegou a procurar Valdemar Lemos, que fechou com o River-PI e cogitou buscar José Carlos Serrão, que coleciona passagens pelo Vail Chaves. No entanto, as dívidas com atletas e a insegurança administrativa e financeira fizeram com que o clube largasse atrás dos rivais na corrida pelo acesso e contra a degola em 2017.
Leia a matéria completa na edição desta sexta-feira, 23, do GRANDE JOGADA.

Next Post

O título do Veterano é do Vila!

qui dez 22 , 2016
Desbancando favoritos, se reforçando durante a competição e apresentando um futebol baseado na força coletiva o Vila Dias sagrou-se campeão da Copa Paulo Borges Monteiro de Futebol Veterano em 2017. Na manhã do domingo (18), a equipe comandada por Ditinho e Pedrinho derrotou a Tucurense/Eros Antônio, nas cobranças de penalidades […]