Amor pela bola: Uma família ligada pelo futebol

Quatro irmãos no mesmo campeonato. Cada um jogando por uma equipe diferente e um deles atuando como árbitro em diversos jogos na mesma competição. Isso aconteceu com Gilbertão (Vila Dias), Gera (Tucurense/Eros Antônio), Marcão (Tucurense/Má Barbeiro) e Valter Silva, o Gordinho, que, inclusive, foi o árbitro da decisão da Copa Paulo Borges Monteiro de Futebol Veterano.

O mais velho de uma família de dez irmãos, Gilbertão foi o responsável por tornar o futebol uma paixão. “Eu sempre gostei de futebol, tive algumas passagens pelo profissional e, depois, os outros começaram a me acompanhar”, afirmou. Gera confirmou a influência. “Começamos a acompanhar ele principalmente na época em que jogava pelo profissional do Mogi Mirim”, relembrou. Marcão também chegou a jogar profissionalmente pelo América de São José do Rio Preto.

Em 1999, cinco irmãos venceram a Série A do Amador jogando pelo Vila Dias. Na época, um acordo entre eles e a direção do Vila permitiu que isso acontecesse. ”A própria diretoria do Vila brigou para que a gente ficasse junto Eu e o Marcão éramos zagueiros, o Gera volante e meia direita, o Luiz Carlos meia e o Gordinho lateral”, contou Gilbertão.

Sobre jogarem em equipes diferentes em 2016, Marcão foi o encarregado de explicar a situação. “A gente tem os convites dos mesmos times para jogar e por um motivo ou outro acaba fazendo a opção”, disse.
Jogar uma partida apitada por Gordinho não é uma novidade para eles, mas ainda causa alguma polêmica. Gera acha que essa é uma situação que poderia ser evitada. “Sempre acaba gerado desconfiança do adversário. Sempre alguém vai falar que deu uma falta porque é irmão, o certo seria não apitar”, ponderou. Gilbertão faz questão de exaltar as qualidades de Gordinho. “Ele se aperfeiçoou como árbitro, gosta, é fanático e aplica a regra do jogo”, garantiu.

O apelido de Gordinho vem desde criança e foi dado pelo irmão mais velho. “Quando ele nasceu era bem gordinho e curtinho, parecia uma bolota e aí comecei a chamar de Gordinho e pegou, todo mundo no meio de futebol conhece ele assim”, afirmou.

A organização do campeonato agradou bastante, mas, Gera sugere algumas mudanças. “Dois árbitros fica confuso, às vezes um interfere na marcação do outro, era melhor voltar a ser um árbitro e dois bandeiras”, observou.