Esportiva, Bezinha e mais sobre o Conselho na FPF

 

SEGUNDONA – A confirmação da participação da Esportiva Itapirense na Segunda Divisão do Paulista aguarda apenas por formalidades. Na quinta-feira (2), o clube foi representado no Conselho Técnico do torneio na sede da Federação Paulista de Futebol (FPF) e está entre os 33 pré-confirmados pela entidade.

DOCUMENTAÇÃO – O temor dos dirigentes do clube era sobre uma intransigência da FPF a respeito dos clubes cujos estádios estão interditados. Sete dias antes do Conselho, um encontro prévio havia definido o dia 1º de fevereiro como prazo para apresentação de toda documentação necessária para a participação. A entidade, porém, descartou apenas as agremiações que estavam irregulares ou que estão longe de obter os laudos. Há clubes que não deram sequer início ao processo de solicitação de vistoria.

AGUARDO – O caso da Esportiva se enquadra a de outros federados. A diretoria garante que pagou todas as taxas relativas à documentação e que aguarda apenas a vistoria do Corpo de Bombeiros de Mogi Guaçu para que os laudos sejam expedidos. O presidente em exercício, João Vital, afirmou em entrevista ao GRANDE JOGADA, que o coronel Izidro Suita Martinez afirmou durante o Conselho que conversou individualmente com os órgãos responsáveis pela emissão dos laudos em casa cidade. É amparada neste ponto que a diretoria está confiante pela presença no campeonato.

EQUIPES – No total, 51 agremiações manifestaram interesse em participar do campeonato, mas, apenas 33 estão na lista. A FPF não divulgou oficialmente, mas, os clubes pré-confirmados são: América de Rio Preto, Amparo, Araçatuba, Assisense, Atlético Araçatuba, Atlético de Mogi das Cruzes, Bandeirante, Barcelona, Brasilis, Diadema, EC São Bernardo, Elosport,Esportiva Itapirense, Fernandópolis, Grêmio Prudente, Guaratinguetá, Guarulhos, Inter de Bebedouro, Itararé, Jabaquara, Jaguariúna, José Bonifácio, Manthiqueira, Mauaense, Osasco, Oswaldo Cruz, Presidente Prudente, Primavera, São José, Taquaritinga, União Mogi, Vocem e XV de Jaú.

VOLTAS – Em relação à região, destaque para a presença de clubes como o Amparo, que participou da edição 2016 e do Brasilis, que retorna após cinco anos de ausência. O Jaguariúna Futebol Clube também está na lista e deve fazer sua estreia na competição. Fundado em março de 2007, a equipe também aguarda pela liberação da documentação. Bandeirante de Birigui, EC São Bernardo e Osasco FC estão na mesma situação.

REGIONAL – Caso a FPF confirme os 33 participantes, a tendência é de que haja três grupos com oito times e outro com nove. Como a primeira fase é regionalizada, a Esportiva integraria a chave ao lado de Amparo, Jaguariúna, Brasilis e Indaiatuba. Assim, seriam acrescidos mais três equipes, provavelmente, da Grande São Paulo. Osasco, Barcelona e Guarulhos seriam os favoritos.

FORA – Em relação ao ano passado, oito, dos 32 participantes, estão fora da Bezinha. A Portuguesa Santista, campeã em 2016 e o Desportivo Brasil, que conquistaram o acesso encabeçam a lista. O Taboão da Serra também está na A3 deste ano, já que ficou com a terceira posição na Bezinha de 2016 e herdou a vaga que seria do Atlético Sorocaba, que desistiu de atuar profissionalmente nesta temporada. Santacruzense, Tupã, Tanabi, Lemense e Palmeirinha de Porto Ferreira também estão fora.

AUSÊNCIAS – A lista com 33 agremiações apontou a ausência de escudos importantes. Destaque para o Grêmio Barueri, que chegou à Série A do Brasileiro e após o rebaixamento na A3 do ano passado, não disputará sequer a Bezinha. A lista de clubes filiados que estão fora da Bezinha ainda conta com agremiações como o Atlético Guaçuano, a Francana, o União São João de Araras (que pleiteou uma vaga), Jaboticabal, Lemense, ECUS Suzano, SEV Hortolândia, Sumaré, USAC de Suzano e Palmeirinha de Porto Ferreira. Escudos que estão afastados há mais tempo, como Radium de Mococa, Ginásio Pinhalense e Pirassununguense também integram a lista. Entre os novatos que cogitaram a participação, está o Real Cubatense, de Cubatão, fundado em julho de 2016 e entre clubes antigos que buscavam o retorno, a Esportiva de Guaratinguetá e o XV de Caraguatatuba.

DISCORDÂNCIA – A Federação Paulista de Futebol apresentou uma proposta que causou polêmica durante o Conselho Técnico. A entidade sugeriu que fosse vetada a utilização de atletas com idade superior a 23 anos. A votação foi parelha, mas, terminou com vitória do ‘sim’. Agora, a Bezinha aceitará a inscrição apenas de atletas nascidos a partir de 1994. Anteriormente, havia a liberação de três jogadores com idade superior a 23 anos. A 2ª Divisão também tem limitada a inscrição de 28 atletas por equipe, sendo três goleiros e 25 de linha.

PREMIAÇÃO – A FPF definiu que cada clube receberá 80 bolas e R$ 35 mil reais apenas pela participação na Segunda Divisão. Os classificados para a segunda fase receberão R$ 30 mil a mais. O campeão arrecadará mais R$ 60 mil, o vice ficará com R$ 30 mil, o terceiro com R$ 15 mil e o quarto, com R$ 10 mil. A Kappa, parceira da FPF, irá ceder três jogos de camisa para todos os clubes interessados, além de coletes de treino. O material solicitado além do número firmado terá a cobrança a preço de custo por parte da fornecedora italiana.

Foto: Rodrigo Corsi/FPF

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *