E AGORA, SAPÃO?!

Rebaixado para a Série A3 do Campeonato Paulista. Foi assim que o Mogi Mirim Esporte Clube passou o Domingo de Páscoa. Em um dia em que muita gente estava em festa, o torcedor do Sapo teve consumada uma das páginas mais tristes da história do clube. A derrota para o Sertãozinho por 5 a 3, no domingo (16), tornou matemática a queda para a Série A3.

No domingo (23), a primeira fase será encerrada com 10 jogos a partir das 16h00. O Mogi joga no Vail Chaves, em um duelo de ‘degolados’ com o Rio Preto. Este foi o terceiro rebaixamento em quatro campeonatos sob o comando do presidente Luiz Henrique de Oliveira. O guarulhense assumiu o Sapão em 2015. O clube já brigava na parte baixa da tabela e caiu antecipadamente para a Série C.

No ano seguinte, descenso para a Série A2 e agora um inédito rebaixamento para a A3. Os capítulos desta triste temporada do Mogi teve a continuidade das dívidas trabalhistas e com fornecedores e atrasos nos pagamentos de atletas e demais funcionários. Assim como no Paulistão 2016, a diretoria atrasou o planejamento e contratou o técnico Marcelo Veiga 20 dias antes da abertura do estadual.

Se no ano passado o clube demorou duas rodadas para conseguir junto à Vara da Infância e Juventude a liberação de menores para assistir os jogos em casa, neste ano o aval ainda não saiu. O clube ainda foi obrigado a fazer quatro partidas longe do Vail Chaves, que estava interditado e só foi liberado no decorrer do torneio. A soma de erros, sobretudo, fora de campo, resultou na degola e em um clima de incerteza para a continuidade do clube.

Leia a matéria completa na edição desta sexta-feira, 20, do GRANDE JOGADA.