Pituca: Quero fazer história no Santos

Quando iniciou seus primeiros passos no futebol, há 17 anos, Diego Pituca jamais poderia imaginar que, um dia, ele deixaria o Jardim Santa Terezinha, onde morava, na zona Norte de Mogi Guaçu, passaria por algumas experiências – até em outro Estado – para chegar ao Santos de Pelé, Robinho e Neymar. E o que estaria no imaginário daquele garoto franzino, de pernas tortas, virou realidade. Hoje, Diego Pituca é o mais novo “Menino da Vila”.

Pituca deixou o Botafogo de Ribeirão Preto para jogar no Santos, que adquiriu os 50% dos direitos econômicos do jogador que pertenciam ao clube do interior. A princípio, o atleta será integrado ao Santos B para a disputa da Copa Paulista. No entanto, caso se destaque, pode ser aproveitado no time principal. O vínculo tem duração de quatro anos.

A contratação do meia foi uma indicação do técnico Kleiton Lima, que dirige o time B do Santos. No entanto, o negócio teve o aval do ainda técnico Dorival Júnior. Por isso, terá que mostrar bom futebol na Copa Paulista para convencer Levir Culpi que tem espaço no time que disputa o Brasileirão.

A carreira de Pituca começou bem cedo. Aos 7 anos, ele já treinava numa escolinha da cidade. Dali, foi para uma outra, até chegar na base do Atlético Guaçuano. Passou pela Itapirense e se profissionalizou no Mineiros, de Goiás. Como profissional, atuou pelo Brasilis, de Águas de Lindóia, até retornar a Mogi Guaçu, onde jogou pelo Mandi por duas temporadas.

Em 2012, estava no grupo que disputou a Série A3 do Campeonato Paulista e ficou a um ponto do acesso, e também a Copa Paulista. Ficou em 2013 e foi, talvez, o principal nome daquela equipe que escapou do rebaixamento na última rodada. Em 39 jogos com a camisa do Guaçuano, foram seis gols marcados.

Seu ótimo futebol o levou para a Matonense, que disputava a 2ª Divisão. Com o time de Matão, conquistou, além do acesso, o título da competição. Em maio de 2014, foi emprestado para o União São João de Araras para a disputa da 2ª Divisão. Chegou ao Botafogo em 2015 para jogar a Série D do Campeonato Brasileiro, participando ativamente da conquista do título e do acesso para a Série C.

Titular desde que chegou a Ribeirão e conhecido por sua versatilidade, atuando tanto de lateral esquerda, como cabeça de área e meio-campo, Diego já se apresentou ao novo clube e foi integrado aos treinamentos. Ao GRANDE JOGADA, o jogador concedeu uma entrevista em que fala da alegria de jogar num clube como o Peixe e avisou: quer fazer história com a camisa alvinegra.

Leia a entrevista completa do jogador na edição desta sexta-feira, 16, do GRANDE JOGADA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *