Mirlene Picin garante novas conquistas no Chile

A esquiadora mogimiriana Mirlene Picin aumentou sua coleção de conquistas. Ela faturou três medalhas de bronze na 17ª edição do Campeonato Militar e no 9ª Campeonato Civil de Biathlon de Inverno, modalidade olímpica que une a corrida de ski cross country com o tiro de rifle calibre .22. As competições aconteceram no período de 4 a 8 de agosto, na escolar military de montanha de Portillo, no Chile, a 2.980 metros de altitude. Mirlene conquistou as medalhas nas três provas que disputou.

No dia 4, a mogimiriana foi a terceira colocada na prova de abertura do evento. Uma competição de 10 quilômetros de ski, sem o tiro na modalidade skating. A atleta concluiu o percurso em 30 minutos e 50 segundos. A vencedora foi a militar argentina Cecilia Dominguez (28m42s) e a segunda colocada foi a militar chilena Claudia Salcedo (29m16s).

No dia seguinte, aconteceu a prova de sprint de biathlon, com 7,5km e duas paradas de tiro. Mirlene mais uma vez foi a terceira colocada e o pódio foi completado por uma chilena e uma atleta da argentina, a vencedora da prova. Com cinco tiros errados dos 10 acertos possíveis, Mirlene ainda teve um desempenho razoável no tiro, se comparado com a média de sete erros.

O evento foi encerrado no dia 7 com uma prova de largada em massa de 10 km e quatro paradas de tiro. A brasileira teve apenas cinco acertos dos 20 possíveis, o que a deixou de fora da briga pelo ouro, mas, com um ski forte, conseguiu se recuperar a ponto de ficar entre as três primeiras colocadas.

Vale lembrar que a esquiadora passou dois meses nos Estados Unidos realizando um treinamento de verão na Sun Valley Ski Education Foudantion, em preparação para as competições que participou. Os resultados no Chile comprovam o nível competitivo de Mirlene em solo estrangeiro. Mirlene fez sua estreia em competições sulamericanas em agosto de 2008. Os primeiros pódios apareceram no ano seguinte. Foram cinco medalhas somadas nas etapas do Chile e da Argentina. De lá pra cá, a brasileira só não conquistou medalhas nos anos de 2013 (não competiu) e em 2016, ano em que teve uma embolia pulmonar durante o voo para as competições em Ushuaia, em julho. Como ainda estava se recuperando, teve um baixo rendimento nas provas disputadas no Chile.

Ao todo, são 26 medalhas somadas durante esse período em etapas do sulamericano de biathlon.E quem agradece é o meio ambiente. A cada bom resultado alcançado nos mais diversos terrenos, ela premia a natureza com uma quantidade de mudas plantadas. Até o momento, ela já plantou 670 árvores em dois anos do Projeto Podium Verde Visafértil.

Com as três medalhas do Chile, a atleta soma mais 45 mudas (15 por cada terceira colocação). Ate o momento, a edição 2017 do projeto conta com 195 mudas que serão plantadas no final do ano, somando todos os resultados. O projeto de Mirlene ganhou, inclusive, um destaque no Atlas Esportivo, um portal de notícias, curiosidades e dicas sobre variados esportes.

Mirlene tem o patrocínio da Visafertil, Nanobr Nanotecnologia e Bones Skiroll, tem o apoio da Murilhas Comunicação e Hospital 22 de Outubro e conta com a parceria da Prefeitura Municipal de Mogi Mirim e da Explosão Suplementos Alimentares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *