Estilo de Vida: Melatonina – O hormônio do sono

Elaine Cristina Navarro*

A Melatonina é um hormônio natural produzido pelo nosso cérebro durante a noite e tem a finalidade de nos ajudar a pegar no sono. Ela é produzida pela glândula pineal do cérebro, mas com o passar dos anos sua produção é bastante diminuída por causa do envelhecimento, causando assim distúrbios frequentes em adultos e idosos.

Atualmente é possível encontrar a melatonina de forma sintética, que é produzida e comercializada legalmente fora do Brasil, no entanto por não ter registro na ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, por aqui ela pode ser encontrada em farmácias de manipulação, desde que prescrito por um médico, uma vez que as farmácias obtiveram autorização esse ano para a comercialização deste medicamento na forma de manipulado.

Embora a ANVISA não autorize a comercialização da Melatonina na forma industrializada no Brasil, ela é facilmente encontrada em lojas de suplementos alimentares, lojas de produtos naturais, pela internet e ainda pode ser trazido como bagagem de mão de uma viagem do exterior.

A Melatonina pode garantir uma noite de sono bem dormida, ativando o sono mais profundo que é a fase REM, que traz inúmeros benefícios ao corpo, favorecendo principalmente o repouso restaurador, mas é preciso salientar que a dosagem incorreta e a automedicação podem resultar em desequilíbrio hormonal, podendo diminuir a disposição do corpo durante o dia, uma vez que o corpo pode ficar em estado de vigília constante, mas não é nada comparada a perda de consciência involuntária ou incapacidade produzida por um medicamento de indução do sono, que geralmente é um medicamento de uso controlado.

Alguns estudos têm mostrado que o uso da Melatonina sintética também vem ajudando pessoas com enxaquecas crônicas, uma vez que tendo o ciclo do sono regular, há poucas chances da enxaqueca aparecer, sem contar que dormir bem ajuda o cérebro a processar o aprendizado, manter o equilíbrio metabólico energético e diminui o déficit de atenção, hiperatividade e até é uma ajuda até contra a obesidade.

Há estudos ainda que destacam que o uso da melatonina pode possuir efeitos antiepiléticos, retardamento da evolução da doença de Alzheimer, tratamento e retardamento na evolução da Esclerose Lateral Amiotrófica – ELA, na reparação de danos provocados por Acidentes Vasculares Cerebrais – AVC´s e ainda se mostrou eficaz contra a alopecia androgenética, que é a calvície masculina de origem genética. Viram quantos benefícios?  Mas, apesar da Melatonina sintética muitas vezes ser considerada como um suplemento ou vitamina, é necessário cuidados no seu uso. Procure sempre um médico, que poderá prescrever a melhor dosagem para você, caso haja necessidade.

*Elaine Cristina Navarro é estudante de pedagogia e tem uma página de motivação ao emagrecimento saudável

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *