DIETA CARB CYCLE – PARTE 1

Elaine Cristina Navarro*

Já falei muitas vezes sobre reeducação alimentar, estilos de alimentação e dietas. Bem, eu sou super a favor de uma alimentação balanceada, com todos os nutrientes necessários para o corpo, ou seja, acho que a reeducação alimentar sempre será a melhor saída pra quem quer ter uma vida saudável. No entanto, existem objetivos na vida que nos levam a conhecer novas dietas, no meu caso, comecei a treinar para melhorar o corpo depois do emagrecimento, com o passar do tempo descobri novas formas de me alimentar e melhorar a estrutura do meu corpo.

Conheci a dieta low carb, fiz muito tempo dieta com alto carboidrato para ganho de massa magra, testei jejum intermitente, todas dietas que já falei aqui para vocês. Mas depois de conhecer cada uma delas e saber qual era a reação de cada uma sobre meu corpo (sim, por que cada corpo reage de uma forma diferente), cheguei a conclusão que a Carb Cycle, também conhecida como a dieta do Ciclo de Carboidratos, que consiste em ingerir mais carboidratos em dias de treinos mais intensos, carboidrato moderado em dia de treinos menos intensos (no meu caso, membros superiores) e baixo carboidrato em dias de descanso de treino era a melhor para mim, por causa do meu objetivo e por que me adaptei a ela.

E por que fazer todo esse trabalho? Quem treina sabe o quanto é difícil o ganho de massa magra, carboidratos são fontes de energia e mantém os músculos do nosso corpo. Quando você faz uma dieta com baixo carboidrato, você consegue reduzir a gordura corporal, mas consequentemente você perde um pouco da massa muscular e pra quem treina isso é a morte! Então a Carb Cycle veio para suprir essa necessidade de quem quer perder gordura corporal e ao mesmo tempo manter a massa magra.

O ciclo de carboidratos é mais uma estratégia hormonal do que uma estratégia calórica, fazer essa variação no consumo de carboidratos influencia muito na produção dos nossos hormônios e determinam significativamente na composição corporal. A insulina, por exemplo, é um hormônio que armazena gordura e faz a construção muscular. Quando consumimos carboidratos, ela é lançada na corrente sanguínea e faz com que ele seja utilizado como energia, no entanto, se consumimos carboidratos em excesso eles são estocados como gordura no nosso corpo. Por isso é preciso cautela no consumo deles, se você come carboidratos e não utiliza essa energia em treinos, o consumo vai se transformar em acúmulo de gordura corporal. Se você treina, ele vai ser utilizado como fonte de energia e vai ajudar na construção e manutenção da massa muscular. Veja, é matemática! Eu como, eu gasto! A secreção da insulina vai variar com o tipo e quantidade de carboidratos que você consumir, fazendo o ciclo, você manipula a insulina para minimizar o acúmulo de gordura e maximizar a síntese muscular.

Nos dias de baixo carboidrato você estará forçando seu corpo a queimar gordura, pois ele estará sensível à insulina, já nos dias de alto carboidratos você estará maximizando o crescimento muscular, pois estará cheio de energia e poderá inclusive aumentar o rendimento e a intensidade do seu treino. Semana que vem continuaremos falando sobre a atuação do carb cycle no corpo e quais os benefícios de seguir essa dieta.

*Elaine Cristina Navarro é pedagoga e tem uma página de motivação ao emagrecimento saudável

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *