“Lutar, sempre. Vencer, talvez. Desistir, jamais”

Reclamar é fácil. Fazer algo para mudar a realidade, nem tanto. Mas, felizmente, existem por aí algumas pessoas que não se deixam abater pelas dificuldades e, assim, conseguem mudar sua própria realidade e ajudar outras a terem a mesma sorte. A professora de Educação Física, Daiane Aline Laurindo, é dessas guerreiras que não param no primeiro obstáculo.

Desde os 13 anos, ela é atleta e há quatro atua como treinadora de futsal. Em uma conta bastante básica, é fácil notar que durante grande parte de sua vida, ela esteve envolvida com o esporte. Tudo começou na escola Geraldo Philomeno, em Mogi Mirim, onde Daiane deu os primeiros passos no esporte através de um projeto ali desenvolvido. “Após seis meses de treinamento na escolinha, fui convidada a participar do Projeto Campeão, com as aulas ministradas pelo Lazinho, e foi a partir daí que comecei a me interessar muito mais pelo Futsal, consequentemente futebol society e de campo”, contou.

Depois, ela não parou mais. Assim por 13 anos ela atuou como atleta – principalmente – no futsal. “Devido a inúmeros fatores, jogávamos campo esporadicamente, apenas em jogos regionais. Nós gostamos mesmo é da bola pesada, do drible, rapidez e dinamismo que o futsal nos proporciona”.

Conheça mais sobre a história de Daiane na edição especial desta sexta-feira, 2, do GRANDE JOGADA,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *