Audiência sobre o Mogi é adiada para agosto

Um pedido apresentado pelo presidente do Mogi Mirim, Luiz Henrique de Oliveira, horas antes da audiência que poderia culminar em sua saída judicial do clube, adiou o encontro no Fórum local. Marcada pelo juiz Fábio Rodrigues Fazuoli para quarta-feira (4), a audiência foi reagendada para o dia 20 de agosto, às 14h00.

No dia anterior ao procedimento, Luiz Henrique de Oliveira, através de seu advogado, André Lopes dos Santos, justificou sua ausência devido a problemas de saúde. Por se tratar do único patrono do requerimento, o juiz determinou o adiamento. Em sua decisão, publicada pelo TJSP (Tribunal de Justiça de São Paulo), Fazuoli destacou que tudo o que havia sido determinado antes, porém, será mantido.

Ou seja, a audiência do dia 20 de agosto será de instrução, debates e julgamento. Os processos que tratam do clube foram distribuídos para a 3ª e a 4ª Vara da Comarca de Mogi Mirim e tem, entre os requerentes, o ex-gerente de futebol do Sapão, Henrique Peres Stort e o ex-assessor de imprensa do clube, Geraldo Vicente Bertanha. Uma das ações pede a nulidade da assembleia do dia 18 de novembro de 2017, convocada pela atual diretoria e que reelegeu Luiz Henrique de Oliveira na presidência do Mogi.

Também estão registrados os pedidos de suspensão dos efeitos de resolução, assembleias, deliberações administrativas tomadas pela atual administração do Mogi Mirim Esporte Clube, até o mês de setembro de 2016; além da proibição de realização de jogos do clube, sob seu mando, fora do município; a determinação de concentração dos recursos do clube em uma única conta bancária; a vedação a alienação de bens móveis e imóveis sem anuência da assembleia geral; e a proibição de cessão de direitos de exploração do futebol profissional sem que haja aprovação da assembleia geral.

Há outro processo em trâmite na Justiça local que pede a declaração de legalidade das deliberações tomadas em Assembleia Geral de Associados realizada em 18 de julho de 2017 e não reconhecida pelo corpo diretivo do Mogi Mirim Esporte Clube. Com a audiência marcada para o próximo mês de agosto, a tendência é de que, ao menos na Justiça, a situação do Mogi fique perto de um desfecho. Enquanto a morosidade judicial se prova uma marca registrada deste país, o clube segue em seu lento e doloroso processo rebaixamento, não apenas dentro do gramado…

Next Post

Esportiva segura empate e avança na Bezinha

dom jul 8 , 2018
A Esportiva Itapirense está classificada para a segunda fase da Segunda Divisão do Campeonato Paulista. Neste domingo (8), a Vermelhinha empatou em 0 a 0 com a Francana, em duelo realizado no estádio José Lancha Filho, em Franca (SP). Com o resultado, a Esportiva foi a 26 pontos e se […]