A 62ª edição dos Jogos Regionais vem aí…

Acontece de 17 a 29 de julho, em Santa Bárbara d’Oeste, a 62ª edição dos Jogos Regionais. Como o GRANDE JOGADA trouxe com exclusividade em sua edição do dia 29 de junho, Mogi Mirim ficou fora da competição alegando dificuldades financeiras. Será o terceiro ano que a cidade não terá representantes na principal competição regional. Por outro lado, Mogi Guaçu e Itapira vão marcar presença nos Jogos. O secretario de Esportes de Itapira, Marquinhos Schimidt, informou que a cidade irá para a competição com uma delegação formada por 140 atletas, com idade entre 14 e 50 anos, sendo que as participantes mais novas são as da ginástica rítmica e o atleta mais velho a compor o grupo vem do time de handebol.

Os atletas da cidade irão competir nas modalidades de atletismo masculino e feminino, basquete masculino livre, futebol masculino, ginástica rítmica feminina 14 anos, handebol masculino livre, judô masculino e feminino e natação masculino e feminino. Segundo o secretário, a definição das modalidades que participariam do evento, partiu dos próprios professores da Secretaria. “Este ano a participação foi aberta a todos os professores da SEL. Assim, estamos indo somente com as modalidades que os professores tiveram interesse em participar”, explicou. Para o extenso grupo que representará a cidade em Santa Bárbara, toda a infraestrutura necessária está garantida e ficará a cargo da Prefeitura itapirense.

“A Prefeitura arca com todos os gastos durante os jogos. O alojamento é cedido pela cidade, mas a partir do momento que entramos na escola somos responsáveis por toda a estrutura. A SEL através de seus funcionários fica encarregada de toda logística de funcionamento, como Transporte de equipamentos e estrutura até a cidade, cozinha, colchões, segurança, transporte dos atletas, taxas administrativas e tudo mais que couber na necessidade destes dias. Os jogos regionais já são programados em nosso planejamento e consequentemente no orçamento da SEL”, explicou.

Com todas as despesas que estão envolvidas no processo e o atual cenário econômico brasileiro, que tem repercutido em Prefeituras com recursos escassos, principalmente em pastas como o esporte – que tradicionalmente já sofre com verbas reduzidas -, muitas cidades têm enfrentado dificuldades para integrar eventos como este. É o caso de Mogi Mirim, que abdicou da disputa. Itapira, segundo o secretário, também sofreu com a situação e, como consequência, vai para os Regionais com uma delegação menor do que em anos anteriores.

Para se adequar à atual situação financeira, Itapira precisou reavaliar algumas questões ligadas à participação no evento e adotou medidas para evitar gastos. “Temos dado importância na participação dos nossos atletas e nos trabalhos realizados no município, e não mais em pagar para que jogadores de outras cidades e clubes venham a representar o município. Antigamente até podia ter o resultado com medalhas e no ponto mais alto da tabela, mas ao longo de todo o ano não se era investido e muitas vezes faltando este recurso para a modalidade. Esse resultado era construído para mostrar que havia um grande trabalho no esporte local, mas na verdade não havia esse trabalho. Ele era montado. Redefinimos nossas prioridades e objetivos e hoje participamos com atletas que realizam seus treinamentos durante todo ano em Itapira”, explicou.

Neste trabalho que vem sendo construído com atletas locais, os Regionais são uma oportunidade única, de competir com equipes de nível nacional e internacional. Para o secretário, um momento único, que traz aprendizados e oportunidades de desenvolvimento, já que faz os participantes se desafiarem, superando assim seus próprios limites. “Todo atleta espera esse momento, e quando se consegue o resultado, a medalha, é algo que motiva e fica o registro para sempre desta superação. Quando não se consegue fica um aprendizado e um novo objetivo para o próximo ano”.

Mantendo o discurso de valorizar os atletas locais e seus aprendizados, o secretário  evitou colocar suas expectativas em medalhas e resultados, avaliando que as principais expectativas referentes ao evento dizem respeito à dedicação

de competidores e de toda a equipe envolvida. “Nossas expectativas são que nossos atletas façam seu melhor, coloquem todo seu aprendizado e esforço até o momento durante os Jogos. O resultado sempre é bem vindo, primeiramente para eles, por conquista pessoal e, posteriormente, para nós, como resultado de um bom trabalho de equipe, entre professores e dirigentes. Caso não venham as medalhas temos o mais importante sendo conquistado, a formação de cidadãos, de bem, com valores e com melhores hábitos de vida”, encerrou.

MOGI GUAÇU

Mogi Guaçu irá para os Regionais com uma delegação composta por 242 atletas. A cidade participará de modalidades como atletismo, bocha, capoeira, judô, taekwondo, tênis de mesa, vôlei, xadrez, entre outros. Além dos atletas locais, uma equipe de 28 pessoas formará a comissão técnica que dará todo o suporte necessário para os competidores.

Next Post

França x Croácia: Os palpites para a final da Copa

sáb jul 14 , 2018
A grande festa do futebol mundial está perto de mais um encerramento. Foram 30 dias intensos, com polêmicas, inovações, como o VAR (árbitro de vídeo), torcida e decepção com o Brasil e muitos gols. Após 62 partidas, os finalistas foram conhecidos nesta semana. Na terça (10), a França, com gol […]