As medalhas que o ‘governo CNB’ tirou de Mogi Mirim

O potencial esportivo de Mogi Mirim é absurdo. A cidade conta com expoentes em diversas modalidades. A variedade é tão grande que vai de destaques da natação ao vôlei, passando por futebol de campo, esqui e triatlo. Claro que nem todas estas modalidades integram os Jogos Regionais, mas, mostram a força do esporte local. Por mais que as autoridades pareçam não dar a mínima para isso. A cidade ficou pela terceira vez fora dos Jogos Regionais. Uma vergonha inédita, que entra na conta de dois políticos: Gustavo Stupp (PDT), foi o primeiro desta série, em 2016. Nos anos seguintes, Carlos Nelson Bueno (PSDB) manteve a incompetência e deixou a cidade fora da competição amadora mais importante para os atletas da cidade.

A oportunidade de representar o brasão de Mogi Mirim foi tirada aos ’45 do segundo tempo’. No último dia de inscrições, a SEJEL (Secretaria de Esporte Juventude e Lazer), que trabalhou o ano inteiro com a promessa de que, este ano, retornaria aos Jogos, foi comunicada de que o alto escalão da Prefeitura determinou a não ida a Santa Bárbara d’Oeste. Carlos Nelson deu a ordem, seguida por seus fiéis escudeiros, como Danilo Zinetti, secretário de Governo e pelo chefe de Gabinete, Guto Urbini.

Após mais um capítulo triste na história do esporte local, a ‘Olímpiada Caipira’ começou. Foram quase duas semanas de muito esporte em Santa Bárbara, com o título geral ficando com Indaiatuba. Mas, quem achou que Mogi não faria nada nos Regionais, se enganou. Os atletas da cidade foram convidados a participar por outras cidades, algo que o regulamento permite. Uma das histórias mais interessantes, é do vôlei masculino na categoria livre. A equipe que nos últimos dois anos brilhou envergando a camisa de Mogi na Liga Regional de Vôlei, alcançou o ponto alto do pódio. Mesmo que fragmentado e representando outra bandeira.

Convidados por Santa Gertrudes, dois atletas nascidos em Mogi conquistaram o título da modalidade. Rodolfo Billy, levantador e Jhow Mello, oposto, foram aos Regionais após convite feito pelo oposto Thiago Borges, que é de Rio Claro, mas já integrou a equipe de Mogi Mirim em campeonatos importantes. “Sabendo que eu estava parado fez o convite para jogar por Santa Gertrudes.Eu aceitei porque sabia que se formaria um time competitivo”, frisou Rodolfo. A equipe também contou com o central Felipe e o ponteiro Wesley, além do próprio Thiago Borges. Ou seja, a base de Mogi Mirim, campeã da LRV em 2016, foi responsável por conduzir Santa Gertrudes, cidade que fica a cerca de 70 quilômetros de Mogi, ao título dos Jogos Regionais.

Billy, Thiago e Felipe comemoram o título de campeões dos Jogos Regionais

Na primeira fase, a equipe estreou com vitória por 2 sets a 0 sobre Bragança Paulista, com parciais de 25 a 21 e 25 a 17. Depois, bateu a forte equipe de Amparo por 2 sets a 1, com parciais de 18 a 25, 28 a 26 e 18 a 16. Nas quartas de final, a vaga garantida com a vitória por 3 sets a 0 diante de Indaiatuba, com 25 a 19, 25 a 16 e 25 a 19. A semifinal foi intensa, mas, mais uma vez, a equipe venceu por 3 a 0, com 25 a 18, 25 a 23 e 25 a 22. A final aconteceu nesta sexta-feira (27), quando a equipe reencontrou Amparo. Na decisão, 3 sets a 0 para Santa Gertrudes, com um passeio: 25 a 16, 25 a 14 e 25 a 21.

O título ficou com Santa Gertrudes, mas com um gostinho de que poderia ser Mogi Mirim no ponto mais alto do pódio. “Foi uma mistura de sentimentos envolvidos. Estou extremamente feliz. Ser campeão dos jogos regionais não é uma tarefa fácil. Eu já havia vencido os Jogos, mas, como Santa Gertrudes nunca havia vencido, foi algo muito especial. Os atletas e comissão técnica estavam muito esperançosos para levantar o caneco pela primeira vez. Então quando conquistamos foi uma alegria contagiante. Por outro lado, fica a tristeza e a lembrança de que Mogi Mirim poderia estar ali recebendo esse título”, afirmou Billy.

As façanhas de mogimirianos em Santa Bárbara não param por aí. Juliana Vaz, atleta da cidade, atuou por São João da Boa Vista e ficou com a prata após derrota para Itatiba na grande decisão. Matheus Bertazolli, nadador que por anos defendeu a cidade, ganhou seis medalhas representando Sorocaba, nos Jogos Regionais de Tatuí, em outra região do estado. A força do esporte local se espalhou em 2018 e a esperança dos atletas, sejam as crianças que ainda dão os primeiros passos ou os veteranos de Regionais, é de que a cidade tenha a oportunidade de retornar à competição em 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *