Itapirense e guaçuano na ‘calçada da fama’ do São Paulo FC

O São Paulo Futebol Clube teve uma noite de gala nesta terça-feira (7). O estádio Cícero Pompeu de Toledo (Morumbi) recebeu dezenas de grandes ídolos do passado tricolor. Nomes que marcaram a história do clube foram homenageados com o projeto ‘Caminho dos Ídolos’, uma espécie de calçada da fama, instalada na rampa de acesso ao Salão Nobre do estádio são paulino. No total, 99 ex-jogadores do clube receberam a honraria, com foto e nome cravados no local.

Bellini defendeu o São Paulo em 205 partidas

Entre estes ídolos, destaque para dois atletas nascidos na Baixa Mogiana. Um deles foi o itapirense Hideraldo Luiz Bellini. Nascido em 7 de junho de 1930, morador da antiga rua do Amparo (atual rua da Penha), o defensor iniciou a carreira na Sociedade Esportiva Itapirense, ainda menor de idade. Se destacou e migrou para o Sanjoanense, de migrou para o Vasco da Gama, em 1952. Foi o primeiro capitão de uma Seleção Brasileira campeã do mundo, em 1958 e eternizou o gesto de levantar a taça, ao colocar para o alto, a desejada Jules Rimet. A chegada ao São Paulo ocorreu em 1962, ano em que representou o clube na Copa do Mundo, a segunda conquistada em sua brilhante carreira. No São Paulo, Bellini não conquistou taças, já que viveu um dos períodos mais carentes da história do clube, no famoso jejum de 13 anos. Mesmo assim, foi um dos grandes defensores que já vestiram a camisa tricolor e teve o nome eternizado no ‘Caminho dos Ídolos’. Bellini faleceu em 20 de março de 2014, aos 83 anos.

Outro representante da região na homenagem do São Paulo é Claudemir Vitor Marques, ou, como é conhecido, Vitor! O lateral-direito nasceu em Mogi Guaçu, em 28 de setembro de 1972. Após passagem pela base, foi alçado à equipe principal em um dos períodos mais ricos da história tricolor. Vitor foi campeão da Libertadores em 1992 e em 1993. Também faturou o Mundial de Clubes em 1992, sendo titular na final contra o Barcelona. Defendeu o clube em 143 partidas e marcou três gols. Negociado com o Real Madrid, o jogador retornou ao Brasil para escrever uma página ímpar na história do nosso futebol. O guaçuano é o único brasileiro com quatro títulos da Libertadores da América como jogador. Além do bicampeonato pelo São Paulo, foi campeão em 1997, pelo Cruzeiro e, em 1998, pelo Vasco da Gama.


Vitor marcou um dos gols do São Paulo na final da Libertadores de 1993

Confira abaixo a lista dos homenageados:

Adílson
Alfredo Ramos
Aloísio
Amoroso
André Luiz
Antônio Carlos
Araken Patusca
Bauer
Belletti
Bellini
Bernardo
Bezerra
Cafu
Canhoteiro
Careca
Chicão
Cicinho
Danilo
Darío Pereyra
De Sordi
Denílson
Dinho
Dino Sani
Doriva
Edcarlos
Edmílson
Elivélton
Fabão
Falcão
França
Friaça
Friedenreich
Gérson
Gilmar
Gino Orlando
Hernanes
Jose Poy
Josué
Juninho
Junior
Jurandir
Kaká
King
Leonardo
Leônidas
Lugano
Luís Fabiano
Luizinho
Mário Sérgio
Maurinho
Mauro
Mineiro
Miranda
Mirandinha
Müller
Muricy
Nelsinho
Noronha
Oscar
Pablo Forlán
Palhinha
Paraná
Pardal
Pedro Rocha
Peixinho
Pintado
Piolim
Pita
Raí
Remo
Renato
Renganeschi
Riberto
Ricardo Rocha
Roberto Dias
Rogério Ceni
Ronaldão
Ronaldo Luís
Ruy
Sastre
Serginho Chulapa
Sídnei
Silas
Teixeirinha
Terto
Toninho Cerezo
Toninho Guerreiro
Válber
Víctor
Virgílio
Vítor
Vizolli
Waldir Peres
Zarzur
Zé Carlos Serrão
Zé Sérgio
Zetti
Zezé Procópio
Zizinho

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *