Torcida forte e tradição do Vila Dias estão de volta

É impossível falar em futebol amador de Mogi Mirim sem falar de Vila Dias. O vermelho que predomina no escudo, na bandeira e na camisa, corre nas veias de quem é Vila. Uma paixão sem medidas, que já fez muita gente sair em excursão rumo aos outros bairros da cidade e até colocar mais gente na prévia de uma partida do Mogi Mirim Esporte Clube do que o próprio Sapo conseguiu depois. Fundado em meados da década de 1970, o Vila Dias já foi chamado de Diabo e de Dragão da zona Leste.

Seja lá qual for o apelido, uma coisa é certa. Quem é Vila uma vez, é Vila para sempre! O clube pode ter no futebol a sua marca, mas a força está na torcida. “É o nosso maior patrimônio. A torcida da Vila Dias é fora do comum. Eu falo para a turma, a torcida da Vila é igual a do Corinthians. Talvez por ser um bairro mais afastado, com pessoas humildes, parece que temos aquela paixão pela Vila. Nossa maior força é a torcida”. A palavra é de Galileu Araújo. Técnico da equipe e um dos principais dirigentes, Galileu se tornou sinônimo de Vila Dias.

Comandante nas conquistas mais recentes do clube, em 2012 e em 2014, o treinador também encabeçou o projeto de regularização da Associação Esportiva Vila Dias, fundada em 16 de março de 2013. Após uma longa batalha, a entidade conquistou a concessão do estádio Maria Paula, o campo do bairro. Porém, foi justamente por conta de querer ter alguns jogos do clube na própria casa, que o Vila passou por um período de afastamento do Amador.

“Foi triste ver a vila fora do amador. Tivemos uma luta de dois anos para montar a associação e colocar em prática, regularizar ela, deixar tudo bonitinho. A concessão do campo foi uma luta grande, de todo mundo da diretoria. Quando conseguimos, a Liga (Lifamm – Liga de Futebol Amador de Mogi Mirim) não deixou a gente jogar no campo. Isso magoou um pouco e saímos do campeonato. Porém, a Vila nunca parou. Nesses anos, fomos campeões do Cinquentão, vice no Veterano e fizemos um grande trabalho de base, social. Estruturamos a associação para voltar com essa força toda que vai voltar esse ano”, destacou Galileu.

Após abrir mão da vaga em 2015, quando defenderia o título conquistado em 2014, o sexto da história, a Vila Dias passou dois anos suspensa da Copa Mogi Mirim. Neste ano, retornou na lista de espera e conseguiu vaga na Série C. A estreia será no dia 19 de agosto, às 15h15, exatamente no estádio Maria Paula, a casa da Vila. O adversário será o Meninos Flamboyant. O Grupo B também conta com Dois Irmãos, Estrela, Ouro Preto, Real Nordeste e Unidos Adib Chaib/Arsenal. Para Galileu, não será uma disputa fácil. O treinador acredita que a presença da Vila motivará as outras equipes da Série C. “Quem vai jogar contra a gente vai se dedicar ao máximo para enfrentar de igual para igual”, frisou. Justamente para adequar a equipe, foram feitos cinco amistosos contra times das terceira divisões de Mogi Mirim e Mogi Guaçu. O elenco, porém, é de primeira. Os zagueiros Paulão e Diego Sarará e o volante Tiaguinho foram campeões com a Vila em 2012 e em 2014. Bruninho Seriani jogava no time de 2012, assim como Vitinho, campeão também em 2007. Baby venceu em 2007 e em 2014 e o atacante Galinho, acabou de ser campeão, mais uma vez, pelo Itaqui, na elite de Mogi Guaçu.

Uma montagem de elenco que, justamente pela tradição e pela torcida, se tornou até fácil. “Não precisamos correr atrás, ficar ligando. Pessoal deu a palavra e ficou com a gente, mesmo com a ficha da Série A e da Série B saindo antes. Todo mundo veio aqui no Supermercado (Irmãos Araújo) para assinar a ficha. Gostei de ver esse ano, foi uma satisfação imensa. Isso mostra que o nome da Vila Dias é muito forte mesmo”, destacou Galileu. Para ele, muitos jogadores absorvem esta paixão que a torcida transborda e acabam criando um vínculo inexplicável com a Vila. “Muitos jogadores que a paixão é jogar na Vila. Até jogaram em outros clubes, mas o coração é Vila Dias”. Um coração vermelho e branco e que pulsa a cada canto de uma torcida apaixonada. Um torcedor que, em 2018, terá a chance de acompanhar a sua paixão. Porque o Gigante está de volta!

ELENCO DO VILA DIAS PARA A SÉRIE C 2018

GOLEIROS

Maurício Garcia

 

LATERAIS

Bruninho Seriani

Vitinho

Francys

Hellan

Daniel Piu

 

ZAGUEIROS

Paulão

Baby

Leomar

Diego Sarará

Rafael

 

VOLANTES

Tiaguinho

Danilo Piu

Bruno Santos

 

MEIAS

Marcelinho

Bruninho N.

Jaílson

 

ATACANTES

Galinho

Gui Campana

Igor

Guilherme Jhony

Breo

 

TÉCNICO

Galileu Araújo

 

RAIO-X DA VILA

6

Títulos conquistou a Vila Dias na Série A da Copa Mogi Mirim de Futebol Amador. A equipe venceu a competição pela primeira vez em 1991 e repetiu a dose seguinte, com o bicampeonato de 1992. Em 1994, novamente a taça ficou com o Diabo da zona Leste, apelido pelo qual a agremiação ficou conhecida na década de 1990. A Vila voltou a ficar em festa em 2007, com a quarta conquista, repetida em 2012 e 2014, ano da última taça.

 

12

O Vila Dias chegou a 12 finais em sua história. Além dos títulos de 1991, 1992, 1994, 2007, 2012 e 2014, a equipe ainda decidiu o torneio em outras seis oportunidades. Em 1984, na primeira decisão, perdeu a taça para o Santa Cruz. No ano seguinte, a derrota foi diante da ADABM. Em 1989, a equipe perdeu a decisão para a Tucurense. Na luta pelo tri, em 1993, nova derrota diante da Tucurense. Em 2002, a Vila perdeu o título para a Piteiras e, em 2013, para o Novacoop.
3

Anos ficou ausente da Copa Mogi Mirim o Vila Dias Futebol Clube. Após o título de 2014, a agremiação comunicou a desistência em 2015, por divergências com a organização do torneio. Punida com dois anos de suspensão, a equipe retorna neste ano, na Série C, buscando o retorno à elite do futebol mogimiriano.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *