O brilho do Cerâmica nos Jogos Regionais

Em 2018, o basquetebol do Cerâmica Clube assumiu uma missão importante. Representar Mogi Guaçu nos Jogos Regionais. Através de uma parceria com a Prefeitura, em que o clube oferece toda a estrutura e equipe e o poder público custeia o transporte, o basquete local passou a contar com a marca do Cerâmica. A competição mais importante em nível regional foi realizada em julho, em Santa Bárbara d’Oeste e a equipe que defendeu a bandeira guaçuana foi quase toda formada por associados do clube.

Ao final, um quarto lugar geral na modalidade e cinco pontos importantes para a cidade na classificação, contribuindo com a presença de Mogi Guaçu no Top 10 da competição. Na primeira fase, o basquete guaçuana integrou o Grupo A, ao lado de São João da Boa Vista e Indaiatuba. Na primeira rodada, vitória por 58 a 36 sobre Indaiatuba. No dia seguinte, São João venceu por 93 a 53.

A classificação como segundo colocado na chave colocou a equipe diante de Atibaia nas quartas de final e o duelo foi eletrizante, com vitória guaçuana por 73 a 70. Na semifinal, o sonho de brigar pelo ouro foi interrompido com uma derrota por 77 a 68 diante de Araras e, na luta pelo bronze, um revés por 80 a 60 contra Limeira.

O elenco foi formado pelos armadores Caio Choqueta (funcionário), Felipe Camargo (sócio), Pedro Travaglia (sócio) e Eric Custódio, pelos laterais Édipo Bueno (sócio), Matheus Meschiatti (sócio), Thiago Guimarães, Filipe Santos, Eduardo Custódio (sócio) e Leonardo dias (sócio) e pelos pivôs Rafael Cipolli (funcionário), Carlos Favareto (sócio), Roberson Bertiol (sócio), Alfredo Martini, Henrique Martini, Guilherme Fini (sócio), Daniel Luzetti e Fabiano.

Um dos responsáveis pela modalidade no Cerâmica, Rafael Cipolli, explicou que, apesar das dificuldades de logística, como o fato de descobrir os horários dos jogos do dia seguinte em Santa Bárbara apenas às 22h00 da noite anterior, foi possível contar uma boa quantidade de sócios na equipe.

“Foi sensacional, foi muito bom mesmo. Perdemos a semi para Araras, que é um time basicamente profissional, que ganha bolsa da faculdade e treina duas vezes por semana. Nós fomos lá, juntamos, devagarzinho e perdemos em um jogo bem disputado”, destacou Rafael. “O mais bacana é que o pessoal gostou e se comprometeu a jogar ano que vem de novo e estamos criando a identidade do clube, do Cerâmica, em toda a região”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *