Atuação de gala da Free Play no Brasileiro Absoluto

Estar entre os melhores. Não basta chegar lá, tem que se manter e competir. Sempre em alto nível. O trabalho que a Free Play/Sejel, de Mogi Mirim, faz em duas décadas segue em constante evolução e os resultados estão expostos no cronômetro. Entre os dias 24 e 28 de agosto, a equipe foi uma das 27 a pontuar no Troféu José Finkel, o Campeonato Brasileiro Absoluto de Natação. O evento mais importante da modalidade no país no segundo semestre foi promovido nas piscinas do Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo e organizado pela CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos).

Com 47 pontos conquistados, a Free Play foi a 12ª colocada na classificação geral. Ou seja, Mogi Mirim e a região foi alçada, mais uma vez, ao topo da natação nacional. Entre os homens, a equipe ficou com o 11º lugar. Lá no alto! E a concorrência não é mole não. O Pinheiros foi o campeão. Minas, Unisanta, Corinthians e outros clubes também fizeram bonito, em um campeonato definido pelo coordenador da Free Play, Ricardo Martiniano, como de altíssimo nível técnico. “Tivemos vários recordes sul-americanos batidos lá e estávamos preparados”, afirmou.

O destaque ficou por conta de Conrado Coradi Lino, o mais experiente de uma delegação que contou com um total de três atletas. Além dele, estiveram na capital, Tomas Coradi Lino e Bárbara Cecato Barbosa. Ou auge da atuação de gala em São Paulo aconteceu na segunda-feira, dia 27 de agosto. Após fazer o melhor tempo da vida na eliminatória, fechando os 400 metros medley em 4 minutos, 19 segundos e 31 centésimos, o atleta conquistou mais uma das três finais de nível ‘A’ neste José Finkel.

Na decisão, contra outras sete feras da natação, o itapirense, que há anos brilha em Mogi Mirim, foi ainda melhor e alcançou o tempo de 4 minutos, 14 segundos e 39 centésimos, se tornando o quarto melhor nadador do Brasil na prova. O feito é tão absurdo que, por um segundo e 22 milésimos, ele não tirou a medalha de bronze de Gabriel Ogawa, um dos tantos ex-atletas da seleção brasileira que estiveram no torneio e que defende a bandeira do Pinheiros. O vencedor da prova foi Leonardo Santos, também do Pinheiros e Brandonn Almeida ficou com a prata. Ambos, inclusive, ficaram com a vaga da prova no Mundial de Piscina Curta, que acontece em dezembro, na China.

E se já havia nadado para o melhor tempo da vida na eliminatória, na final ele tirou uma diferença de quase 10 segundos em relação à própria antiga melhor marca. Pulverizou a marca e venceu o relógio. No total, foram quatro finais nadadas por Conrado, sendo três ‘A’ (quando o atleta fica entre os melhores na eliminatória) e mais uma final ‘B’ (quando o nadador obtém entre o 9º e o 16º tempo na eliminatória).

“Com sua atuação, ele terminou o campeonato sendo 34º atleta mais eficiente e levando a equipe terminar o campeonato em 12º lugar”, frisou Martiniano. Para Conrado, a edição atual do José Finkel, de forma geral, foi uma competição muito forte. “Todos os brasileiros que tinham o tempo mínimo estipulado pela CBDA, poderiam estar presentes, independente de idade, o que elevou ao máximo o nível do Campeonato Brasileiro. Na competição estava desde o Campeão Olímpico César Cielo, até o garoto que é adolescente, admirador do Cielo. E toda hora havia alguém batendo recorde sulamericano ou brasileiro”.

O nadador ressaltou que, analisando a natação brasileira em um âmbito geral, esta geração ‘Tóquio 2020’ vem se construindo muito forte. “E nós batemos de frente com toda essa galera. Foram quatro finais e quatro melhores tempos da vida, nas quatro provas em que nadei, em cinco dias de competição”. Conrado passou por uma verdadeira ‘maratona aquática’. Foram 1.600 metros nadados, todos no limite, lutando por cada centímetro para que pudesse ficar à frente dos adversários. “Fora os mais de 5.000 metros de aquecimento e soltura, todos os dias, totalizando 25 mil metros nadados durante a competição. Estou quebrado, mas extremamente feliz”.

O nadador ainda foi o sétimo colocado nos 100 metros medley, o oitavo nos 200 medley e o 16º nos 100 borboleta. Em todas as provas, conseguiu atingir os chamados ‘melhores tempos da vida’.  Estreante no José Finkel, Bárbara foi a 21ª colocada nos 1.500 metros livres femininos, nadados no dia 25 de agosto. No dia 27, ela foi a 18º nos 400 medley e, no dia 28, fechou com 53º tempo nos 100 medley. Já Tomas foi o 24º colocado nos 50 costas, no dia 26 e o 33º nos 100 medley. “As performances do Tomas e da Bárbara foram de muita melhora pessoal”, analisou Martiniano.

Para Bárbara, a sua participação no Finkel foi muito produtiva. “Fiz minhas melhores marcas, e evolui bastante, tanto na natação quanto mentalmente. Achei que foi muito emocionante estar lá e não só por mim, mas também pelos meus companheiros de equipe”, destacou Bárbara. A visão positiva é compartilhada por Tomas. “Consegui baixar meu tempo nas duas provas que nadei e mesmo as colocações sendo praticamente as mesmas que já fiquei, eu curti bastante, pois tiveram bem mais atletas nessa competição. Isso mostra uma melhora boa, conseguindo nadar perto dos melhores do país”, finalizou. O trabalho da Free Play é desenvolvido com o patrocínio da Prefeitura Municipal de Mogi Mirim, através da Secretaria de Esporte Juventude e Lazer (Sejel), Colégio Conectado, Gonçalves Avenida Society, Ótica Líder, Sucos Alvorada e VSwim e apoio do Laboratório 22 de Outubro e da Clínica Vitallis.