A independência de Richarlison começou contra o Mogi

Dia 4 de julho de 2015. Dia em que os norte-americanos celebram a independência de sua nação perante a Inglaterra. No estádio Independência, em Belo Horizonte (MG), o América-MG tem compromisso pela Série B do Campeonato Brasileiro. O adversário é o Mogi Mirim Esporte Clube. O técnico Givanildo de Oliveira, que teve passagem curta e marcante pelo Sapo, quando salvou o clube do rebaixamento no Paulista, em 2009, definiu o time com Felipe Amorim, Mancini (aquele, já aposentado) e Marcelo Toscano como opções de meio-ataque. Na frente, Cristiano, outro com passagem pelo Sapo, assim como a dupla de zaga, formada por Wesley Matos e Anderson Conceição.

O Sapão estreava Sérgio Guedes no comando técnico, em substituição a Aílton Silva. O elenco contava com figuras como o goleiro Daniel, hoje no Nacional-POR e Leonardo (ex-Internacional-RS e Portuguesa-SP). Mas, quem roubou a cena foi um garoto, de 18 anos, que saiu do banco de reservas para fazer a sua estreia no Independência. Richarlison assumiu a vaga de Cristiano e fez o 3 a 1, garantindo a vitória ao Coelho no momento em que o Mogi pressionava pelo empate.

Aos poucos, se tornou impossível manter Richarlison fora do time e, no segundo turno, em Mogi Mirim, o Sapo sofreu mais uma vez com a eficiência do atacante. No dia 3 de outubro, no Vail Chaves, o Mogi até saiu na frente, com Anderson Rosa, mas, em um lance de puro oportunismo, Richarlison deixou tudo igual, abrindo caminho para a virada do Coelho sobre o Sapão. Com x gols, ele foi o vice-artilheiro do América-MG naquela Série B, contribuindo para o acesso da equipe. No ano seguinte, foi para o Fluminense, onde despertou o interesse de outros clubes. O Watford-ING ganhou a briga e, no time que tem o cantor Elton John como presidente de honra, ele ganhou o mundo.

Hoje no Everton, Richarlison agora entrou no radar da Seleção Brasileira. Convocado após o corte de Pedro, do Fluminense, o ainda garotão fez sua estreia no dia 7 de setembro. Desta vez, no Dia da Independência do Brasil, Richarlison atuou nos Estados Unidos e enfrentou exatamente o time da Terra do Tio Sam. Quatro dias depois, foi a vez de marcar duas vezes contra El Salvador. Assim como o companheiro de ataque, Neymar, Richarlison carregará para sempre a história de que, seu primeiro gol profissional, foi em um jogo contra o Mogi Mirim.

E até esses momentos dolorosos, como gols sofridos, hoje fazem falta ao torcedor do Sapão. Quantos craques já duelaram com o Mogi? Quantos venceram? Quantos saíram derrotados? Exuberante como o Carrossel ou figurante como o time de 2015, o que importava é que o Sapo estava lá, entre os melhores. Hoje, não se sabe nem se voltará a campo. Que novos craques como Richarlison possam entrar no caminho do Mogi e que o atacante siga em alto nível, contribuindo, mesmo que de forma singela, para que a memória do Sapo nunca seja apagada.

GOL DE RICHARLISON – AMÉRICA-MG 3 X 1 MOGI MIRIM

GOLS DE MOGI MIRIM 1 X 2 AMÉRICA-MG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *