Palmeiras: Entrevista exclusiva com Leila Pereira

Itapira, Mogi Mirim e Mogi Guaçu possui milhares de descendentes de portugueses, espanhóis e de tantas outras nacionalidades. Refugiados de guerra ou que pura e simplesmente atravessaram mares ou fronteiras em busca de uma nova vida, fato é que uma das colônias mais representativas é a italiana. E justamente por esse vínculo, a região é uma das que mais conta, em São Paulo, com torcedores do Palmeiras.

A TUP (Torcida Uniformizada de Itapira), por exemplo, é considerada uma das maiores subsedes do interior paulista. Com milhares de palestrinos, o GRANDE JOGADA abre uma série que promete não ter fim. Conversas com personagens do mundo esportivo que vão além da Baixa Mogiana. A primeira convidada foi Leila Pereira. Presidente da Crefisa, uma das maiores redes de crédito do país, a empresária tem o nome constantemente vinculado à corrida presidencial do Verdão, a partir de 2021.

Conselheira eleita, Leila tem uma parceria que já se confunde com um período de enorme transição no clube. A Crefisa foi apresentada oficialmente no dia 22 de janeiro de 2015. Pouco mais de um mês após o clube fugir do descenso, o clima era de incerteza. Hoje, o Verdão está consolidado entre as equipes que devem, obrigatoriamente, ao início de uma temporada, ser taxada como favorita.

Ganhou a Copa do Brasil de 2015, o Brasileirão de 2016 e está na semifinal da Libertadores e na ponta do Brasileirão. O drama vivido entre 2012 e 2014, com um descenso e uma briga árdua para fugir do terceiro na história (o clube caiu em 2002 e 2012 para a Série B) mudou. E o ‘Efeito Crefisa’ pegou. As marcas, hoje, se misturam. Algo que Leila garante não ocorrer quando o assunto é a política no clube. “Eu não interfiro em nenhuma decisão do Palmeiras. Como responsável por minhas empresas aprendi que a gente deve permitir que todos realizem o seu trabalho, assim as pessoas sempre vão ter a liberdade de criar e produzir”,

Parceira do Verdão, Leila reconhece a força do clube em todo o Brasil, principalmente no interior. E ao saber que a entrevista ao GRANDE JOGADA seria publicada próxima ao aniversário de duas cidades da Baixa Mogiana (Mogi Mirim, em 22 de outubro e Itapira, em 24 de outubro), a empresária mandou o recado. “Desejo aos queridos moradores dessas cidades importantes que sempre sejam muito felizes. É uma região muito importante do Estado e de gente que sempre está disposta a colaborar com o crescimento do país. Aos palmeirenses, um grande abraço. Também, continuem torcendo. Perto ou longe, apoiar o nosso time é sempre motivo de muito orgulho para todos nós”.

ENTREVISTA EXCLUSIVA COM: LEILA PEREIRA

Como conselheira do Palmeiras, qual a importância do torcedor de um clube como o Palmeiras, que reside no Interior e não consome, diretamente, itens como ingressos e planos de sócio-torcedor?

Todos os torcedores são muito importantes. O Palmeiras é considerado um gigante do futebol por sua história e o tamanho de sua enorme torcida. Pode ter certeza, o torcedor do Palmeiras, ainda que more a distância, consome produtos, comprando camisa e demais produtos com referência ao clube e o mais importante, ama o Palmeiras.

Como o projeto ‘Avanti’ atinge, atualmente, os torcedores de cidades pequenas, mas com uma volumosa quantidade de palmeirenses?

Tenho muitos exemplos, um direto na FAM, muitos torcedores entram no programa Avanti para ter desconto na mensalidade da faculdade. E conheço histórias de torcedores que pagam o Avanti só para contribuir, mesmo sem estar no estádio em todos os jogos, para fazer com que a equipe seja forte. É o amor do nosso torcedor. Além disso, ele sabe que o clube é muito bem conduzido administrativamente, por isso apoia.

Como sócia-proprietária de uma empresa que patrocina o clube e se tornou sinônimo de parceria, como enxerga a capacidade do clube de ampliar a relação destes ‘torcedores/potenciais clientes’ com as suas empresas (sobretudo a Crefisa, que possui agências em cidades como Itapira e Mogi Mirim)?

Eu vou te falar como torcedora. Tenho muito orgulho de ver minhas marcas estampadas na camisa do clube que amo. E tenho certeza que isso contribui para que tenhamos um time muito competitivo. Isso é reflexo de todo o esforço que fazemos para manter um relacionamento que prioriza sempre o Palmeiras. E sei que o torcedor sabe disso, por isso a enorme demonstração de carinho com o Palmeiras por onde vai jogar. E como acompanho o time de perto também, recebo muito carinho dos nossos torcedores.

É possível criar novas ações oficiais, para aproximar ainda mais este torcedor do quadro de sócios do ‘Avanti’? Qual a relevância de cidades com grande traço italiano e com maioria palmeirense em relação a outras torcidas?

Eu não interfiro em nenhuma decisão do Palmeiras. Como responsável por minhas empresas aprendi que a gente deve permitir que todos realizem o seu trabalho, assim, as pessoas sempre vão ter a liberdade de criar e produzir. O departamento de marketing do Palmeiras é quem define as estratégias do clube.  Sei que sempre buscam o melhor para a marca Palmeiras e sua gigantesca torcida.

Leila, você já negou várias vezes o desejo de ser presidente do Palmeiras e chegou a falar que “quem pede (para ser presidente) são os torcedores”. Com este inegável potencial, qual o conjunto de ações que um presidente deve fazer para manter o Palmeiras neste patamar de briga constante por títulos?

O Palmeiras tem gente muito focada, cada qual deve agir dentro do seu setor. Eu sou torcedora e apoio incondicionalmente o nosso time e todos que trabalham pelo melhor para o Palmeiras. Quero, como torcedora um Palmeiras sempre protagonista. Lutando por títulos e crescendo dentro e fora do campo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *