Conheça o rival da Esportiva na final do Sub20

O Elosport Capão Bonito é o adversário da Esportiva Itapirense na decisão da Segunda Divisão do Campeonato Paulista Sub20. O clube tem a segunda melhor campanha da competição, com 27 pontos no geral, atrás apenas da Esportiva, que somou 31. No total, em 14 partidas, o clube venceu oito jogos, empatou três e perdeu outros três. O ataque macou 19 vezes e a defesa sofreu oito gols, resultando em um saldo de 11 gols.

Para efeito de comparação, a Esportiva também soma 14 jogos, com nove vitórias, quatro empates e uma derrota. O ataque marcou 23 gols e a defesa sofreu 12, causando também um saldo de 11 gols. Na primeira fase, o Elo estava no Grupo 5 e avançou na segunda posição, com 15 pontos. A liderança foi do Mauá, eliminado pelo Coelho na semifinal. O Mauaense, que caiu diante da Esportiva nas quartas, também integrou a chave, assim como os eliminados Itararé e Jabaquara.

O Galo do Sul estreou com derrota por 1 a 0 para o Itararé, em casa e depois perdeu, pelo mesmo placar, para o Mauá, fora de casa. A reação começou com uma vitória por 2 a 0 sobre o Jabaquara, em Capão Bonito. Depois, fez 2 a 1 no Mauaense, em Mauá, devolveu a derrota diante do Itararé ao fazer 2 a 0 fora de casa, mas, perdeu em casa por 1 a 0 para o Mauá. Para avançar, bateu o Jabaquara, fora, por 4 a 0 e o Mauaense, em casa, por 2 a 1.

Nas oitavas de final, manteve a invencibilidade, chegando à final com a marca de oito jogos sem perder. Nas oitavas, empatou por 1 a 1 em casa com o Paulista e eliminou o rival em Jundiaí ao fazer 1 a 0. Nas quartas, ganhou fora, do Catanduva, por 2 a 0 e administrou o empate na volta, com um novo 1 a 1. Já na semifinal, o empate rolou em Andradina, sem gols. Na volta, em Capão Bonito, ganhou por 2 a 1 e avançou para a sua segunda final no torneio.

O clube foi campeão em 2009, quando fez grande campanha. Na primeira fase, foi líder, com 19 pontos em oito jogos, em uma chave que contou com Taboão da Serra, Itapevi, Embu-Gauçu e CA Paulistano. Nas oitavas, venceu os dois confrontos com o Paulínia. Fez o mesmo nas quartas, quando eliminou o Guarulhos, com direito a 8 a 2 no agregado. Na semifinal, eliminou o Amparo com uma vitória e um empate e, na decisão, superou o Tanabi. Na ida, empatou em 3 a 3 na casa do rival e, na volta, fez 3 a 0 em Capão Bonito.

OUTRAS CAMPANHAS

Em 2007, o Elosport foi eliminado na primeira fase, ao somar 7 pontos em 10 jogos em uma chave que contava com os inativos Comercial Tietê e Cotia. Em 2008, chegou às quartas de final, perdendo para o Primeira Camisa, campeão daquela edição.  Em 2010, quando defendia o título, foi o lanterna no Grupo 5, sendo eliminado ainda na fase de grupos. Em 2011 e 2012 também caiu na primeira fase, retornando à etapa eliminatória em 2013, quando foi o terceiro em sua chave e eliminou o Primavera nas oitavas.

Foto: Fernando Martinez/ Jogos Perdidos

 

Nas quartas, porém, perdeu para o Pirassununguense. Em 2014, voltou a cair na fase de grupos. Já em 2015, perdeu para o Ecus Suzano nas oitavas de final. Em 2016, voltou a avançar de fase, eliminando o Taboão da Serra nas oitavas. Porém, nas quartas, foi derrotado pelo Lemense. No ano passado, após liderar o Grupo 5 na fase qualificatória, com 17 pontos, eliminou o Manthiqueira nas oitavas, mas, mais uma vez, não passou das quartas, perdendo para o Guarulhos.

HISTÓRIA

O Elosport de Capão Bonito foi fundado em 10 de maio de 1993. Porém, a primeira disputa profissional ocorreu apenas em 1997. No amadorismo, ganhou o apelido de ‘O Galo do Sul’ após um jovem, feliz com o desempenho do clube, enviar um desenho para o jornal O Expresso. O Elosport manda seus jogos no estádio Dr. José Sidney da Cunha, que fica na avenida Clodomiro Amazonas, s/nº, no bairro Vila Bela Vista, em Capão Bonito.

A combinação entre verde, azul e branco é rara no futebol mundial, mas se transformou em uma das principais características do Elosport. Fundado em 10 de maio de 1993, o clube de Capão Bonito jamais alterou suas cores, que eram as mesmas da construtora Elotec, de Irineu Rodrigues Gonzáles, fundador e atual presidente do clube.

O clube surgiu como um braço social da empresa e logo ganhou força no futebol amador de sua região. Antes de integrar o futebol profissional em 1997, o Elosport conquistou o título da Liga de Tatuí em 1994 e o da Liga de Sorocaba em 1995. Sempre com as mesmas cores e com o mesmo distintivo, com a intenção de demonstrar união por meio dos elos de uma corrente.

Desde então, a empresa ganhou novos rumos. Em sua origem, o Elosport jogava com camisas, calções e meiões azuis, que eram substituídos por vestimentas brancas ou verdes quando necessário. Ao longo dos anos, dependendo do apoio dos patrocinadores, o clube atuou com camisas listradas ou com detalhes em verde ou branco, sem nunca, porém, abandonar o azul.

PROFISSIONAL

No profissionalismo, entretanto, o clube não conseguiu os mesmos resultados que conquistou em seus primeiros anos. Após deixar o amadorismo, o Elosport fez parte da então Série B1-B do Campeonato Paulista. No entanto, com a criação da Série B3 em 2001, o time acabou descendo mais um degrau no mesmo ano.

Em 2002, o Galo do Sul foi um dos três alçados à Série B2, graças à exclusão do Corinthians de Presidente Prudente, EC São Bernardo e Santacruzense. No entanto, a equipe de Capão Bonito não conseguiu se segurar e acabou retornando para a B3. No ano seguinte foi promovida mais uma vez e retornou à disputa da Série B2 em 2004.


O acesso, porém, não foi suficiente para que o clube participasse das competições profissionais em 2005. Até seu retorno, em 2007, quando foi inscrito na Segunda Divisão do Campeonato Paulista, onde permanece até hoje, o clube disputou apenas competições das categorias de base.

Na Segunda Divisão de 2007, o Elosport chegou à segunda fase e, em 2008, não conseguiu passar da etapa inicial. Já em 2009, a equipe chegou à terceira fase da competição, entre os 12 melhores clubes da Segundona. Em 2010, repetiu o feito, sendo eliminado em uma chave que contava com Taboão da Serra, Nacional e Olé Brasil. No ano seguinte, fez péssima campanha, terminando na lanterna do Grupo 4, com apenas cinco pontos em 14 jogos.

Em 2012, caiu mais uma vez na primeira fase, sendo o quinto colocado no Grupo 4, com oito pontos em 10 partidas. O mesmo ocorreu em 2013, quando fez 11 pontos em oito jogos e em 2014, quando fez 7 pontos em oito jogos. Em 2015, mesmo com uma boa campanha, somando 34 pontos em 18 rodadas, foi o quinto colocado em uma chave com 10 clubes e ficou pelo caminho, mais uma vez, na fase inicial.

Em 2016, foram 15 pontos em 14 rodadas, proporcionando uma nova queda na etapa de classificação. No ano passado, caiu na primeira fase após fazer 17 pontos em 14 rodadas, ficando atrás de clubes como Primavera e EC São Bernardo, que hoje estão na Série A3. Neste ano, em que conseguiu finalmente ficar entre os quatro primeiros, apenas os três primeiros avançaram para a segunda fase. Com 26 pontos em 14 rodadas, ficou a um do Itararé e caiu em uma chave que avançaram também Primavera (que viria a ser o campeão) e o Mauá.

LONGEVIDADE

O destaque do Elosport está no banco de reservas. O técnico Luís Carlos Vilela é um raro exemplo de longevidade no futebol brasileiro. O treinador está há mais de 13 anos no Galo do Sul. Ele já ganhou o apelido de ‘Ferguson Caipira’, em alusão ao escocês Sir Alex Ferguson, que comandou o Manchester United por quase 30 anos. No Elosport, Vilela é uma espécie de ‘faz-tudo’.

Foto: Emilio Botta/Globoesporte.com

A primeira passagem começou em 1995, apenas dois anos após a fundação do clube. Trabalhou em Capão Bonito até 1999 para atuar na base do Palmeiras. Depois, atuou pelo Galo do Sul de 2000 a 2002, até que 2005 retornou e nunca mais saiu. Ou seja, em 25 temporadas do clube, Vilela esteve em 20. Números chamativos. Em 2001, chegou a conquistar o acesso para a ‘quinta divisão’. E como se percebe, o trabalho não se restringe ao elenco profissional (sub23). Vilela também comanda o sub20 e faz muito mais. No Elo, já pintou arquibancadas, plantou grama, lavou uniforme e muito mais. É o responsável pela compra das refeições dos atletas e cuida da regularização dos jogadores.

FIQUE DE OLHO

Entre os atletas, destaque para o lateral-esquerdo Dois mil. Carlos Henrique Azevedo dos Santos completa 18 anos apenas no dia 4 de dezembro. Ainda assim, jogou a Copinha pelo Elo no ano passado e foi um dos destaques. Após rodar por clubes como Atlético-GO, Bandeirante, Água Santa, Diadema, São Caetano e São Vicente, foi aprovado em teste no Galo do Sul e se firmou no time sub20 mesmo abaixo da idade. É tratado como um defensor rápido e bom nos desarmes, sendo zagueiro de origem e escalado, às vezes, como volante.

A CIDADE

Capão Bonito é um município do estado de São Paulo. Localiza-se a uma altitude de 730 metros, sua população foi estimada em 2018 como tendo 47.159 habitantes. Possui uma área de 1.641 km², sendo o quinto maior município do estado, sendo maior, em área, até mesmo que a capital (que tem 1.521 km²). Está localizada na zona fisiográfica do Paranapiacaba, Vale do Alto do Paranapanema. Situado a 222 quilômetros da cidade de São Paulo, integra a região de Itapeva, próximo a Sorocaba, fazendo divisa com municípios como Eldorado e Itapetininga.