Conheça os rivais da Esportiva na Copinha 2019

Confira como chegam os três adversários da Esportiva Itapirense na primeira fase da Copa São Paulo de 2019. Curiosidades históricas, craques que já passaram pela base dos times que brigarão com a Vermelhinha por uma vaga na segunda fase da competição a partir de 3 de janeiro.

FIGUEIRENSE-SC

O Figueira é um dos clubes que mais revelam jogadores no futebol nacional. Nos últimos anos, saíram no time de Florianópolis atletas como Roberto Firmino, hoje no Liverpool-ING e Henrique, hoje no Cruzeiro. Porém, a agremiação é mesmo uma máquina de fabricar laterais. Maxwell (ex-Barcelona), Filipe Luís (Atlético de Madrid), André Santos (ex-Corinthians), Michel Bastos (ex-São Paulo) e Guilherme Siqueira (ex-Atlético de Madrid).

Entre os nomes mais antigos, destaque para o meia Valdo, que saiu na base do Figueira para bilhar no Grêmio e na Seleção Brasileira na década de 1980. O Figueirense ainda é o único catarinense que já conquistou a Copinha. Em 2008, sob o comando de Rogério Micale, que oito anos depois seria o técnico do inédito ouro olímpico da Seleção, o Furacão bateu o Rio Branco-SP por 2 a 0 na final. Na Copinha deste ano, o Figueira caiu na terceira fase ao ser eliminado pelo Santos.

Na atual temporada, o Figueirense caiu na segunda fase da Copa do Brasil Sub20 ao ser eliminado pelo Botafogo-RJ após ter despachado o Santos na primeira fase. No Brasileiro Sub20, a equipe foi eliminada na primeira fase em um grupo que contava com Flamengo, Internacional (classificados), Santos e Atlético-PR. O time sub20 ainda foi eliminado na semifinal da Copa Santa Catarina pelo Brusque.

BOTAFOGO-SP

O Botafogo-SP é uma das forças do futebol de São Paulo e a base é um dos motivos. O clube já revelou inúmeros craques. Tim (1938), Baldochi (1970), Sócrates (1982-1986), Raí (1994), Cicinho (2006) e Doni (2010) jogaram até Copa do Mundo. Os irmãos Sócrates e Raí, claro, são os grandes destaques da lista, que conta ainda com o goleiro Diego Alves, hoje no Atlético-MG e o zagueiro Bordon, que defendeu o São Paulo e o Schalke-ALE).

Raí, aliás, foi vice-campeão da competição em 1983 pelo Pantera, em uma das duas finais já disputadas pelo clube. A outra foi em 2015, quando o Bafo perdeu para o Corinthians na decisão. Na edição deste ano, a equipe passou para a segunda fase após cair no grupo do São Paulo. Na segunda fase, eliminou a Ponte Preta e depois caiu exatamente diante do São Paulo.

Já no Campeonato Paulista da categoria, o Botafogo avançou para a segunda fase como líder do Grupo 2, com 26 pontos. Na segunda fase, ficou na segunda posição, com 11 pontos, em uma chave em que o São Caetano também se classificou e que Desportivo Brasil e Juventus ficaram pelo caminho. Na terceira fase, porém, caiu após ser o terceiro colocado, com oito pontos, atrás de Guarani e São Paulo. Em julho, o time sub20 foi campeão dos Jogos Regionais, em Matão, com uma campanha de 100% de aproveitamento ao representar Ribeirão Preto.

CRB-AL

O CRB retorna à Copa São Paulo após ficar ausente em 2018. No ano passado, o clube alagoano foi eliminado ainda na primeira fase, após não pontuar em uma chave que contava com Primavera-SP, Atlético-PR e União-MT. Os regatianos vêm de uma temporada ainda sem conquistas na categoria sub20. No Alagoano Sub20, o CRB perdeu para o rival CSA na decisão.

A chegada à final, porém, garantiu a vaga na Copinha 2019. Wallace, com 8 gols, terminou como artilheiro do torneio e é uma das esperanças do CRB para a próxima temporada. Entre os nomes mais famosos que já passaram pela base do Galo, está Roberto Firmino. Apesar de ter sido revelado, de fato, pelo Figueirense, o atacante alagoano passou pela base do CRB e o clube chegou a receber R$ 1 milhão quando o jogador foi vendido pelo Hoffenheim-ALE para o Liverpool-ING.

Outro nome famoso que passou pelo time regatiano foi o volante Luiz Gustavo. Criado no CRB, o jogador se destacou em 2007 e foi parar na Alemanha, onde defendeu equipes como o Bayern de Munique. Há ainda outros nomes que não foram profissionalizados, mas que passaram pela base do CRB, como o ex-atacante Aloísio Chulapa, o lateral-direito Marcos Rocha, hoje no Palmeiras, o zagueiro Pepe (ex-Real Madrid) e o atacante Willian José, hoje na Real Sociedad-ESP e que foi vendido em 2007 pelo Galo por incríveis R$ 500.