O Mogi chegará ao 50º Paulista consecutivo?

A profissionalização do Mogi Mirim Esporte Clube começou a ser esboçada entre 1954 e 1958, quando a agremiação se aventurou no terceiro nível do Paulista. Foi a partir de 1970 que a caminhada profissional se consolidou. Desde então, foram 49 campeonatos paulistas consecutivos, independente da divisão. Já em 2019, o clube não tem vaga garantida na chamada Segunda Divisão Sub23 do Paulista, que começa no dia 27 de abril.

E o risco de ausência justamente no ano em que completaria 50 torneios consecutivos existe. A atual gestão conta na linha de frente com o empresário Mário Choi e o ex-jogador Diego Medeiros, ambos da HS Sports Agency. Há ainda investidores nos bastidores. Até o fechamento desta edição, o grupo demonstrava otimismo com a participação, indicando 90% de chances de atuar. Isso, mesmo com a nebulosa herança deixada por Luiz Henrique de Oliveira, que há seis meses não aparece no clube.

Os coreanos assumiram a gestão, mas não a presidência. Para cumprir as necessidades, abriram contato com pessoas da cidade e ligadas ao passado do clube. Na terça-feira (22), representantes visitaram a Federação com a ideia de apresentar ao presidente, Reinaldo Carneiro Bastos, o novo panorama do clube, queimado nos últimos anos pelo caos criado na ‘Era LHO’.

Enquanto pendências ainda precisam ser sanadas, o clube vive a expectativa de estar no Conselho Técnico da 2ª Divisão, que será na terça-feira, 29 de janeiro, às 15h00. Segundo a Federação, em nenhuma hipótese poderão participar os clubes que não apresentarem até 28 de janeiro os laudos técnicos aprovados e todos os documentos atuais estão vencidos ou reprovados.

O clube recebeu nos últimos dias o orçamento (cerca de R$ 60 mil) das despesas para regularização do estádio Vail Chaves, que está interditado. A primeira luta do Mogi em 2019 é contra o relógio. E, no dia 29 de janeiro, saberemos se o processo de destruição das recentes gestões não afetará o futuro ou se atingirá o seu ápice: a exclusão do Mogi dos campeonatos de futebol!

Next Post

Acervo histórico: 65 anos de futebol profissional

dom jan 27 , 2019
Conhecer e valorizar o passado é item obrigatório de uma comunidade. Hoje, quando falamos em futebol profissional na Baixa Mogiana, automaticamente, lembramos do Mogi Mirim Esporte Clube, Esportiva Itapirense e Atlético Guaçuano. São estes os últimos clubes que representaram as suas respectivas cidades em competições oficiais. Porém, a região contou, […]