Free Play mantém parceria com chefe do DM do Palmeiras

Compartilha!!!

A medicina esportiva está cada vez mais desenvolvida e o Brasil é um dos países referência no assunto. Para garantir o máximo de segurança e aproximar seus atletas da alta performance, a Free Play/Sejel, de Mogi Mirim, conta com uma equipe multidisciplinar de qualidade. Entre as peças vitais para o sucesso da equipe está o médico Gustavo Magliocca. Ele é o responsável pelo trabalho de avaliação dos atletas, com o acompanhamento de todo o processo de treinamento.

“Isto envolve uma comunicação, uma interdisciplinaridade entre os treinadores e a gente daqui, com a parte de controle fisiológico, do corpo, do condicionamento”, explicou o médico. Graduado em medicina e em medicina do exercício e do esporte pela Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), Magliocca é diretor médico da Careclub, em que realiza seus atendimentos de rotina. É no local que ele recebe desde atletas amadores até competidores de alto rendimento, entre eles, os integrantes da Free Play.

As visitas são periódicas, com um controle mecânico, fisiológico dos atletas. O médico avalia o novo ciclo com a equipe mogimiriana como bastante positivo e com boas expectativas. “Focando bastante no ciclo de Tóquio, do Conrado e a nossa expectativa é a melhor possível de que o atleta desenvolva e consiga melhorar ainda mais as suas marcas e conquistar suas vagas e índices técnicos”.

Magliocca ressaltou a comunicação e a integração entre a Careclub e a Free Play e que esta sintonia é fundamental para que os resultados possam ser alcançados. Sobre a medicina do esporte, ele ressalta que ela é a ciência que, primeiro, garante a segurança da prática esportiva e em segundo lugar acompanha o atleta cuidando integralmente da sua saúde e da sua performance.

“No aspecto de saúde, diagnosticando lesões, acompanhando doenças clínicas e potencializando o máximo da condição fisiológica do atleta. E do ponto de vista de performance, acompanhar através de exames e de outras formas de controle de performance, integrando com outros profissionais e fazendo com que haja uma gestão única encima da necessidade do atleta”, enfatizou.

O médico fala com muita propriedade sobre o assunto.  Está há 12 anos no esporte de alto rendimento. Atuou como diretor médico nas últimas duas Olímpiadas, em Londres (2012) e Rio de Janeiro (2016). Ocupa ainda o cargo de diretor médico da CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos) e também é chefe do Departamento Médico do Palmeiras. Com tanta bagagem, o médico sabe que não é possível precisar uma expectativa direta sobre resultados. Mesmo assim, sua função é fundamental para que eles aconteçam.

“É possível indicar pontos que favoreça a evolução do atleta e o resultado é consequência disto e, principalmente, de como ele responde no treinamento. É claro que é algo que está muito mais na mão do Ricardo (treinador da Free Play) do que minha. Mas, eu vou auxiliar e encontrar pontos que favoreçam este desenvolvimento, principalmente na parte articular e fisiológica”. O trabalho da Free Play é desenvolvido com o patrocínio da Prefeitura Municipal de Mogi Mirim, Colégio Conectado, Gonçalves Avenida Society, Ótica Líder, Sucos Alvorada e VSwim e apoio do Laboratório 22 de Outubro e da Clínica Vitallis.

Post Author: Lucas Valério

Avatar