Atlético Guaçuano: um gigante em ruínas

Compartilha!!!

Página por página desta edição, é clara é a relevância histórica do Atlético Guaçuano para a cidade. É óbvia também a obrigação jornalística de se homenagear esta trajetória construída ainda no início do século passado. Assim como é evidente o descaso atual com o clube. O GRANDE JOGADA procurou inúmeras vezes o prefeito da cidade, Walter Caveanha, para falar sobre a situação atual da agremiação. Não há encaixe na agenda…

O estádio que leva o nome do talvez maior apaixonado pelo Mandi é uma área municipal. E está jogada às traças. Um prefeito que não honra a história tem capacidade de conduzir uma sociedade para o futuro? O Camacho, interditado desde 2012, é um ‘Gigante em Ruínas’, assim como o clube que celebra hoje 90 anos. Abandonado por aqueles que deveriam ser responsáveis. Administrativamente, o Mandi vive o mesmo dilema.

Hoje, não há uma diretoria constituída oficialmente. O último presidente eleito com ata registrada foi Israel Lanza, que assumiu após a renúncia de Paulo César Sabino, em 2015. O mandato terminou em 2016 e jamais foi homologada no Cartório Oficial de Registro de Imóveis, Títulos e Documentos e Civil de Pessoa Jurídica da Comarca de Mogi Guaçu.

O clube está ausente das competições da Federação Paulista de Futebol pelo quinto ano consecutivo, um vexame inédito em sua história. Há, porém, quem acredite em mudanças administrativas ainda em 2019. De um lado, Lanza e Sabino articulam o retorno das atividades através de parceria com uma empresa ítalo-brasileira, a ASB (Academia Spal Brasil), ligada à Spal, equipe que disputa a elite do Campeonato Italiano. Em outra frente, membros do GAM (Grupo de Apoio ao Mandi) não cansam de lutar pelo retorno do Atlético. Seja em quais mãos o futuro cair, que elas sejam mansas para respeitar a história do clube, fortes para reconstruir uma história quase centenária e firmes para esmurrar qualquer ameaça de um novo colapso.

ÚLTIMO

É de conhecimento da grande maioria que o clube não disputa uma competição oficial desde 2014. O último jogo do Atlético foi no dia 13 de abril daquele ano, quando perdeu por 3 a 0 para o Independente, em Limeira. Conforme o GRANDE JOGADA trouxe na Página 5 da edição impressa de fevereiro, aquela foi a 999ª partida oficial do Mandi. Uma dor a mais imaginar que o clube está tão perto do milésimo jogo profissional e nada acontece há anos.

Post Author: Lucas Valério

Avatar