Prefeitura promete construção de arquibancada no Camacho

Compartilha!!!

A Prefeitura de Mogi Guaçu anunciou através de nota oficial publicada em seu site, que, neste mês de março, terão início as obras de construção e ampliação de arquibancadas no estádio municipal Alexandre Augusto Camacho. A responsabilidade é da SOB (Secretaria de Obras e Viação), que está, segundo a Prefeitura, em vias de emitir a Ordem de Serviço para a construtora DJR iniciar os trabalhos no estádio.

Há anos, a obra é aguardada e, por não contar com a capacidade de público exigida pela Federação Paulista de Futebol (FPF), o Atlético Guaçuano teve seu estádio interditado no final de 2012. Em 2013, no primeiro ano do retorno de Valter Caveanha à administração municipal, o Mandi mandou seus jogos com portões fechados e, em 2014, em Itapira. Desde 2015, o clube está fora das competições oficiais exatamente pela falta de liberação do estádio.

De acordo com a nota oficial, a DJR venceu a licitação em dezembro. Em janeiro, a SOB encaminhou o processo para a Caixa Econômica Federal, que deu o aval para a emissão da OS neste mês. “O projeto prevê a construção de um novo bloco de arquibancada na frente dos vestiários, atrás do gol, em lugar da antiga arquibancada metálica, que será removida, e a ampliação da arquibancada principal, no lado direito”, destaca a Prefeitura em nota.

A administração municipal ainda ressaltou que o valor do contrato é de R$ 403.966,37, somados R$ 330.791,33 de convênio com o Ministério do Esporte e R$ 54.692,81 de contrapartida mínima do Município. A diferença corresponde a recursos próprios da Prefeitura. O prazo para conclusão da obra é de seis meses, contados da data de emissão da Ordem de Serviço, o que cria a expectativa para que o clube tenha condições de retomar as atividades profissionais em 2020.

Além da questão do estádio, o clube ainda precisa regularizar a sua própria diretoria, que não possui ata registrada com representantes executivos e consultivos desde 2016. Há também pendências com a Federação Paulista de Futebol, que só poderão ser sanadas após a reorganização administrativa.

MURO

A Prefeitura ainda informou que a equipe de engenharia da SOV está levantando os custos para fechar os orçamento e abrir outra licitação para outras obras no quase nonagenário estádio guaçuano. A ideia é reconstruir o muro frontal do Camacho, reformar parte da laje do túnel dos vestiários, corrigir e impermeabilizar a parte de trás da marquise.

A parte frontal da marquise da cobertura da arquibancada principal já recebeu manutenção e impermeabilização pela Proguaçu, restando completar o serviço na aba posterior. O muro para a rua Hugo Panciera não resistiu à erosão por ser muito antigo e ruiu parcialmente, mas terá de ser reconstruído, conclui a nota oficial.

Post Author: Lucas Valério

Avatar