As estatísticas da Esportiva em 72 anos de história

A Esportiva Itapirense completa no dia 24 de março, 72 anos de fundação. Em 1947, esportistas da cidade se reuniram no prédio da Associação Comercial de Itapira. Alguns, membros do Sport Club Itapirense. Outros, do Itapira Futebol Clube. A fusão entre duas das grandes potências do futebol local deu origem à Sociedade Esportiva Itapirense.

A assembleia geral elegeu os membros do Conselho Deliberativo e cinco nomes concorreram à presidência. Com 29 votos, Caetano Munhoz foi eleito o primeiro presidente da Vermelhinha. Na primeira escalação, lendas como Renatinho, Fernando Serra, Tongo, Cidóca Lauri, Diógenes, Flávio Baretta, Bellini, Hélio Moraes, Tila Avancini, Gilberto, Bogê, Ferreira, Capota e Peretta.

Dali em diante a Esportiva seguiu seu caminho de conquistas. Levantou canecos nas competições municipais e participou com destaque de edições do Campeonato Amador do Estado, organizado pela Federação Paulista de Futebol.

Após as participações profissionais de 1954, 1957 e 1969, o clube ficou inativo até 2005, quando a administração municipal, encabeçada por Toninho Bellini, ex-jogador do Itapira Atlético Clube, resolveu retomar o futebol profissional na cidade.

A ausência do IAC desde 1997 foi um dos itens que levaram ao ressurgimento da Esportiva, que deu glórias recentes ao torcedor com os acessos de 2007 (para a A3) e 2013 (para a A2) e os títulos da Segunda Divisão Sub20, em 2017 e 2018. Nesta página, alguns números e curiosidades da fase profissional de um clube que carrega o vermelho e branco e a paixão do torcedor itapirense.