Mika é top7 em ‘corrida rústica’ na Itália

A mogimiriana Mirlene Picin foi campeã na categoria em competição da Comunidade Marroquina na Itália. A corredora foi sétima no geral, em prova rústica de 11,5 quilômetros. A Corsa Del Ponte Tra I’ Popoli ocorreu no dia 10 de março, na Ponte San Giovani, em Perugia, na Itália. O percurso foi em piso de asfalto e terra e Mirlene terminou com o tempo de 49 minutos e 31 segundos. Ela foi a vencedora na categoria 30+. A vencedora geral foi Federica Poesini, com 46 minutos e 18 segundos. No total, 35 corredoras completaram a prova. No masculino foram 185 concluintes.

“Federica e Paola (segunda colocada) são corredoras italianas reconhecidas internacionalmente. Federica integra a equipe da região de Umbria e tem o melhor tempo em maratonas, com duas horas e 45 minutos. Paola foi campeã europeia de meia maratona com 1 hora e 17 minutos”, explicou Mirlene. Para ele, esses dados mostram o nível competitivo das provas. “Eventos locais atraem corredores expressivos. O perfil das provas também é um pouco diferente do Brasil. As distâncias não são muito definidas pelos clássicos cinco ou 10 quilômetros e também não se buscam percursos planos para tempos mais baixos e sim altimetria variada e técnica”, destacou a mogimiriana. Assim como Mika, a maioria dos corredores de cross country e de montanha utilizam provas como estas para a pré-temporada, em preparação ao eventos de montanha, que tem início a partir de abril, com o desgelo da neve em altas montanhas.

“O que sempre me chama a atenção em competições na Europa é o nível competitivo de qualquer evento. Por aqui as pessoas estão muito mais acostumadas ao treinamento, pois é parte da cultura, coisa que vem da época escolar. Todos os corredores também tem que ser filiados a um clube para competir em provas oficiais, o que, de alguma maneira, gera maior comprometimento, sem falar na organização, entre os próprios corredores e os organizadores. Por aqui não existe “pipoca” sem inscrição no meio do evento ou números de peito clonados, práticas cada vez mais frequentes, infelizmente, em nosso país”, ressaltou a atleta.

Mirlene ressaltou que todos os itens do corredor precisam estar em dia, do exame médico ao comportamento como corredor. Caso contrário, o atleta não consegue se filiar a um clube de corredores, a uma federação e ter sua ‘licença’ de corredor anual renovada. A mogimiriana é patrocinada pela Visafértil e AJP Motos Brasil e tem apoio da Murilhas Comunicação, Hospital 22 de Outubro, Mediphacos e Bonés Skiroll.

Next Post

Definidos os últimos quatro times da 3ª Divisão

ter mar 19 , 2019
A Seletiva da Terceira Divisão foi concluída no domingo (17) com as partidas da segunda fase. Magnatas, Expresso do Juventus, Escola de Futebol Batista e Itapira City garantiram vaga no terceiro degrau do futebol amador itapirense. No campo Victório Sartorelli Filho (Prados), o Magnatas venceu o Fantásticos por 3 a […]