Clássicos regionais decidem os acessos para a elite em 2020

A Federação Paulista de Futebol definiu as datas e horários dos confrontos semifinais da Série A2 do Paulistão, que acontecem nos próximos dois finais de semana. Com melhores campanhas, XV de Piracicaba e Água Santa decidem os acessos à elite em casa. Todos os jogos terão transmissão do SporTV. Santo André e Água Santa abrem os confrontos neste sábado (13), às 15h00, no estádio Bruno José Daniel, em Santo André, enquanto às 19h00, a Inter de Limeira recebe o XV de Piracicaba no estádio Major José Levy Sobrinho, em Limeira. Os jogos que definirão os acessos serão na semana seguinte. XV de Piracicaba e Inter de Limeira jogam no Barão de Serra Negra, no sábado (20), às 19h00. Já Água Santa e Santo André fazem o derradeiro jogo da semifinal no domingo, às 11h00, no Distrital do Inamar.

HISTÓRIA

Três dos maiores vencedores da história da Série A2 de São Paulo disputam o título deste ano, além do acesso à elite da temporada seguinte. Dono da melhor campanha do torneio, o Água Santa é o único dos quatro que jamais venceu a divisão. Maior ganhador da história, o XV de Piracicaba ostenta cinco taças. O clube foi o primeiro a vencer o torneio, inaugurando a Lei do Acesso. Campeão em 1947, repetiu a dose no ano seguinte, quando enfim chegou à elite estadual. Após mais de uma década na primeira divisão, voltou a ganhar a A2 em 1967, permanecendo entre as melhores equipes até 1980.

O quarto título chegou em 1983 e após oscilar por longo período entre a elite e o equivalente à quarta divisão, conquistou o pentacampeonato em 2011. Segundo maior vencedor com quatro títulos, o Santo André tem início de história com a A2 mais recente. Seu primeiro título foi em 1975, mas com a Lei do Acesso suspensa seguiu na disputa da divisão. A promoção à elite se deu com o título de 1981. Décadas mais tarde, no início do projeto que culminou com a chegada à Série A do Campeonato Brasileiro e o vice-campeonato paulista, o time do ABC voltou a ser campeão em 2008. O tetracampeonato veio em 2016.

Completando o pódio dos maiores campeões com três títulos estão Araçatuba, América, Ferroviária, Noroeste e Inter de Limeira, rival do XV de Piracicaba nesta temporada. A equipe limeirense ganhou a primeira taça em 1978, se mantendo na elite até 1993 com direito ao título estadual de 1986 após superar Santos e Palmeiras na semi e final, respectivamente. Conquistou o bicampeonato em 1996 e, oito anos mais tarde, voltou a ganhar a Série A2 em 2004. Um dos clubes emergentes mais eficazes da história recente do futebol paulista, o Água Santa debutou no futebol profissional em 2013 chegando à elite em apenas três anos, porém sem conquistar nenhum título. De volta à divisão em 2017, teve a melhor campanha na busca pelo retorno à elite.

PRÓXIMOS

Separados por 61 quilômetros, XV de Piracicaba e Inter de Limeira farão um clássico regional no Paulistão A2 Sicredi para definir um dos acessos para a elite. Após passarem por Juventus e Portuguesa Santista, respectivamente, eles se enfrentarão nos dois próximos finais de semana em jogos que prometem aparar as cidades. Classificado em quinto lugar na fase inicial, o XV de Piracicaba enfrentou o Juventus. Após vencer a ida por 1 a 0, o time alvinegro empatou em 1 a 1 na Rua Javari e carimbou a vaga. “Foram dois jogos bem difíceis. Uma equipe que teria toda condição de estar na semifinal. Time competitivo, organizado, com bons jogadores”, avaliou Tarcísio Pugliesi, técnico do XV.

Por sua vez, a Inter de Limeira terminou a primeira etapa em sétimo lugar e teve como adversária a Portuguesa Santista. O time viveu a mesma situação que o XV, vencendo em casa por 2 a 0 e segurando o empate fora. “Sabíamos da qualidade do adversário, da experiência. Conseguimos fazer um bom resultado em casa e jogamos pra administrar fora”, disse João Vallim, técnico da Inter. Por ter pior campanha do que o rival, a Inter de Limeira fará novamente o primeiro jogo na condição de mandante. “A gente tem que sempre fazer o dever de casa. Isso é o que pregamos. Fazer um bom resultado em casa”, comentou João Vallim. O time limeirense não teve um bom retrospecto no Major Levy Sobrinho na fase inicial, vencendo apenas o último jogo. “Aquela vitória tirou o peso de não ganhar em casa, só empatar. Deu tranquilidade. Agora ganhamos duas. Temos que manter o foco e a concentração”, completou o técnico.

Por sua vez, o XV de Piracicaba terá seus mandos invertidos em relação a fase anterior. “Não muda muita coisa não. Temos uma torcida muito forte e atuante. Independente de primeiro ou segundo jogo em casa, não mudamos nossa maneira de jogar”, avalia Tarcísio. Inter de Limeira e XV de Piracicaba se enfrentaram na estreia do Paulistão A2 Sicredi. Em Limeira, o time visitante levou a melhor e venceu por 3 a 2. Apesar disso, os técnicos acreditam que aquele jogo não deve ter muitos reflexos nos dois próximos. “Aquele primeiro jogo é atípico. Existe muita ansiedade por ser estreia. Depois disso foram mais 16 jogos e muda tudo”, disse João Vallim. “Agora é outro jogo, outra fase, características diferentes”, ressaltou Tarcísio Pugliesi, ex-técnico do Atlético Guaçuano.

Foto: Divulgação/Facebook da Inter

Next Post

Base define finalistas, mas chuva adia decisões

ter abr 9 , 2019
A chuva forte do último final de semana resultou no adiamento das finais da Copa Municipal de Futebol de Base de Mogi Guaçu. As decisões das cinco categorias da 14ª edição do torneio aconteceriam no domingo, dia 7 de abril e foram canceladas pela SET (Secretaria de Esporte e Turismo). […]