Clássicos regionais decidem os acessos para a elite em 2020

A Federação Paulista de Futebol definiu as datas e horários dos confrontos semifinais da Série A2 do Paulistão, que acontecem nos próximos dois finais de semana. Com melhores campanhas, XV de Piracicaba e Água Santa decidem os acessos à elite em casa. Todos os jogos terão transmissão do SporTV. Santo André e Água Santa abrem os confrontos neste sábado (13), às 15h00, no estádio Bruno José Daniel, em Santo André, enquanto às 19h00, a Inter de Limeira recebe o XV de Piracicaba no estádio Major José Levy Sobrinho, em Limeira. Os jogos que definirão os acessos serão na semana seguinte. XV de Piracicaba e Inter de Limeira jogam no Barão de Serra Negra, no sábado (20), às 19h00. Já Água Santa e Santo André fazem o derradeiro jogo da semifinal no domingo, às 11h00, no Distrital do Inamar.

HISTÓRIA

Três dos maiores vencedores da história da Série A2 de São Paulo disputam o título deste ano, além do acesso à elite da temporada seguinte. Dono da melhor campanha do torneio, o Água Santa é o único dos quatro que jamais venceu a divisão. Maior ganhador da história, o XV de Piracicaba ostenta cinco taças. O clube foi o primeiro a vencer o torneio, inaugurando a Lei do Acesso. Campeão em 1947, repetiu a dose no ano seguinte, quando enfim chegou à elite estadual. Após mais de uma década na primeira divisão, voltou a ganhar a A2 em 1967, permanecendo entre as melhores equipes até 1980.

O quarto título chegou em 1983 e após oscilar por longo período entre a elite e o equivalente à quarta divisão, conquistou o pentacampeonato em 2011. Segundo maior vencedor com quatro títulos, o Santo André tem início de história com a A2 mais recente. Seu primeiro título foi em 1975, mas com a Lei do Acesso suspensa seguiu na disputa da divisão. A promoção à elite se deu com o título de 1981. Décadas mais tarde, no início do projeto que culminou com a chegada à Série A do Campeonato Brasileiro e o vice-campeonato paulista, o time do ABC voltou a ser campeão em 2008. O tetracampeonato veio em 2016.

Completando o pódio dos maiores campeões com três títulos estão Araçatuba, América, Ferroviária, Noroeste e Inter de Limeira, rival do XV de Piracicaba nesta temporada. A equipe limeirense ganhou a primeira taça em 1978, se mantendo na elite até 1993 com direito ao título estadual de 1986 após superar Santos e Palmeiras na semi e final, respectivamente. Conquistou o bicampeonato em 1996 e, oito anos mais tarde, voltou a ganhar a Série A2 em 2004. Um dos clubes emergentes mais eficazes da história recente do futebol paulista, o Água Santa debutou no futebol profissional em 2013 chegando à elite em apenas três anos, porém sem conquistar nenhum título. De volta à divisão em 2017, teve a melhor campanha na busca pelo retorno à elite.

PRÓXIMOS

Separados por 61 quilômetros, XV de Piracicaba e Inter de Limeira farão um clássico regional no Paulistão A2 Sicredi para definir um dos acessos para a elite. Após passarem por Juventus e Portuguesa Santista, respectivamente, eles se enfrentarão nos dois próximos finais de semana em jogos que prometem aparar as cidades. Classificado em quinto lugar na fase inicial, o XV de Piracicaba enfrentou o Juventus. Após vencer a ida por 1 a 0, o time alvinegro empatou em 1 a 1 na Rua Javari e carimbou a vaga. “Foram dois jogos bem difíceis. Uma equipe que teria toda condição de estar na semifinal. Time competitivo, organizado, com bons jogadores”, avaliou Tarcísio Pugliesi, técnico do XV.

Por sua vez, a Inter de Limeira terminou a primeira etapa em sétimo lugar e teve como adversária a Portuguesa Santista. O time viveu a mesma situação que o XV, vencendo em casa por 2 a 0 e segurando o empate fora. “Sabíamos da qualidade do adversário, da experiência. Conseguimos fazer um bom resultado em casa e jogamos pra administrar fora”, disse João Vallim, técnico da Inter. Por ter pior campanha do que o rival, a Inter de Limeira fará novamente o primeiro jogo na condição de mandante. “A gente tem que sempre fazer o dever de casa. Isso é o que pregamos. Fazer um bom resultado em casa”, comentou João Vallim. O time limeirense não teve um bom retrospecto no Major Levy Sobrinho na fase inicial, vencendo apenas o último jogo. “Aquela vitória tirou o peso de não ganhar em casa, só empatar. Deu tranquilidade. Agora ganhamos duas. Temos que manter o foco e a concentração”, completou o técnico.

Por sua vez, o XV de Piracicaba terá seus mandos invertidos em relação a fase anterior. “Não muda muita coisa não. Temos uma torcida muito forte e atuante. Independente de primeiro ou segundo jogo em casa, não mudamos nossa maneira de jogar”, avalia Tarcísio. Inter de Limeira e XV de Piracicaba se enfrentaram na estreia do Paulistão A2 Sicredi. Em Limeira, o time visitante levou a melhor e venceu por 3 a 2. Apesar disso, os técnicos acreditam que aquele jogo não deve ter muitos reflexos nos dois próximos. “Aquele primeiro jogo é atípico. Existe muita ansiedade por ser estreia. Depois disso foram mais 16 jogos e muda tudo”, disse João Vallim. “Agora é outro jogo, outra fase, características diferentes”, ressaltou Tarcísio Pugliesi, ex-técnico do Atlético Guaçuano.

Foto: Divulgação/Facebook da Inter