Acervo Histórico: A única vez do Atlético Mogiano

Nas páginas do futebol profissional da Baixa Mogiana, o Clube Atlético Mogiano escreveu algumas das linhas mais curiosas. Fundado em 4 de janeiro de 1978, o Alvinegro era presidido por José Antônio Carmona, radialista, apaixonado por esporte e que nos deixou há poucos anos. O escudo era semelhante ao do Atlético Mineiro (também CAM em sua sigla). As cores seguiam o preto e branco do Galo, que vivia grande fase à época, com o recente título brasileiro de 1971 e o vice, em 1977.

No começo do ano, o clube fez amistosos, como diante do Guarani, ostentando em seu plantel atletas como Zé Márcio, de Mogi Mirim e Flávio Boretti, de Itapira. Peças que não chegaram a atuar no profissional. No dia 1º de março daquele ano, acertou a contratação de Sinésio Zanetti para ser o treinador. Por ironia, 41 anos depois, no mesmo mês, Sinésio faleceu. Lenda no futebol amador, ele estava há sete temporadas na Tucurense. Vencera os municipais de 1975 e 1976 antes de assumir o novo clube da cidade.

As partidas com mando da equipe aconteceram no estádio Ângelo Rottoli (Tucurão), que hoje acomoda apenas partidas amadoras. O clube ingressou na última divisão estadual, chamada de 3ª Divisão de Profissionais, apesar de ser o quinto degrau. No Grupo A, a agremiação teve a companhia de um rival local. O Mogi Mirim Esporte Clube vivia má fase. Ausente do estadual de 1976 e rebaixado em 1977, o Sapão foi o saco de pancadas em uma chave que também contava com outro clube que se tornou potência em São Paulo: o Clube Atlético Bragantino. Corinthians de Casa Branca, Funilense de Cosmópolis, Cruzeiro, Macedo de Guarulhos, Golfinho de Guarulhos e União Possense de Santo Antônio de Posse completavam o grupo.

No total, eram 34 agremiações, entre elas, destaque para o Ferroviário Ituano, que, a partir de 1990 seria chamado de Ituano FC, sendo campeão paulista em 2002 e 2014. A primeira rodada estava marcada para o dia 23 de abril e foi adiada para o dia 30 do mesmo mês. Naquele dia, Sinésio escalou o CAM com a seguinte formação: Luizinho Neguinho; Boca (Tequila), Pintado e Pitico; Edegar, Brigo e Cabrita; Gato, Salim e Mineiro (Mané). Em Bragança, o Massa Bruta venceu o Atlético Mogiano por 1 a 0. Já no primeiro jogo oficial no Tucurão, vitória por 1 a 0, gol marcado por Salim, aos 32 da etapa final.

A campanha no primeiro turno foi ruim. Na sequência, o clube registrou os seguintes placares: Macedo (0 x 3), Golfinho (0 x 4), Cruzeiro (0 x 0), Corinthians (0 x 0), União Possense (1 x 1) e Mogi Mirim (0 x 1). O jogo que encerrou o turno é histórico. Naquele 18 de junho, no Vail Chaves, Mogi Mirim e Mogiano fizeram o primeiro duelo entre dois times da mesma cidade da Baixa Mogiana em uma competição profissional. O feito seria repetido apenas pelos mesmos times, no fim do segundo turno. O jogo da nona rodada, porém, foi caótico. O Mogi Mirim entrou em campo com apenas nove atletas e ainda assim venceu por 1 a 0. Porém, o Sapo viveu o torneio inteiro a expectativa de perder os pontos, já que atuou com seis atletas irregulares. No segundo turno, o Mogiano estreou perdendo de W.O para o Golfinho.

O clube alegou que teria apenas seis jogadores à disposição e que o treinador seria o jogador Cássio, já que o técnico dirigia a equipe amadora da cidade nos Jogos Regionais de Piracicaba. Com todo o sinal de queda livre, o CAM reagiu às dificuldades. Na segunda rodada, venceu o Bragantino por 1 a 0, gol de Fabinho. Depois, perdeu para o Funilense por 3 a 1, empatou em 1 a 1 com o Macedo e perdeu por 2 a 0 para o Cruzeiro. Na sétima rodada, empatou em 1 a 1 com o Corinthians e na antepenúltima foi derrotado por 6 a 2 pelo União Possense. Na última rodada, a despedida de uma passagem relâmpago do clube pelo profissionalismo. No dia 27 de agosto de 1978, o CAM venceu o Mogi Mirim por 1 a 0. Foi a despedida de uma agremiação que nasceu com o intuito de revolucionar o futebol profissional da cidade, mas que não alcançou seu objetivo principal. De toda forma, garantiu registros históricos e um espaço neste livro sem fim que é o futebol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *