Trio defende a Free Play em mais uma Maria Lenk

Entre os dias 16 e 21 abril, a natação brasileira irá entoar, mais uma vez, o nome de uma das maiores atletas da história do país. Maria Lenk dá nome ao Campeonato Brasileiro Absoluto de Natação, também conhecido como Troféu Brasil. A ex-nadadora também emprestou o nome ao Parque Aquático que sediará a competição e que fica localizado no Rio de Janeiro (RJ). Mas, porque Maria Lenk é tão importante? Entre tantos feitos, ela foi a primeira brasileira a disputar a natação feminina em uma Olímpiada.

E, em meio a um ciclo olímpico, nada mais importante do que evocar este clima. Conrado Coradi Lino, Tomas Coradi Lino e Bárbara Cecato Barboza se apresentam, no momento, como as esperanças da equipe mogimiriana de conquistar uma vaga na Tóquio 2020. Por mais que a edição deste ano do Maria Lenk não seja, efetivamente, um qualificatório para os Jogos do ano que vem, será uma base importante.

Além disso, a competição será seletiva para os Jogos Panamericanos de Lima, no Peru para o Mundial de Piscina Longa, de Gwangju, na Coréia do Sul, ambas, em 2019.“Como sempre, no Maria Lenk, temos os principais nadadores e nadadoras do Brasil reunidos. Sentir como estão os adversários por estas vagas, ter os nossos atleta sem alto rendimento e em alta exigência é fundamental para que este ciclo se mantenha não apenas ativo, mas, com reais chances de obtenção de uma vaga olímpica”, frisou Ricardo Martiniano, coordenador da Free Play/Sejel.

A natação brasileira terá uma seletiva única para os Jogos Olímpicos de Tóquio: o Maria Lenk de 2020. O sistema é ser o mesmo adotado por potências da modalidade como Estados Unidos, Austrália e França. Ao todo, em Tóquio, serão 17 eventos para os homens, 17 para as mulheres e um misto (o revezamento 4x100m medley). Além deste revezamento, haverá duas novas provas do programa olímpico: os 800 metros livres masculino e os 1500 metros livres feminino.

Conrado disputará o seu oitavo Maria Lenk consecutivo pela Free Play

Com um olho no Japão, a delegação mantém o outro no Rio de Janeiro. O mais experiente entre os nadadores da Free Play, Conrado terá quatro provas no Maria Lenk deste ano. O nadador irá nadar os 200 metros livres, os 200 e 400 medley e os 100 metros borboleta. Seu irmão, Tomas, está qualificado para nadar os 50 metros costas, enquanto Bárbara obteve índices para os 200 peito e os 1.500 livres. No total, 408 atletas estão inscritos na competição, que terá início na terça-feira, dia 16. Eles representam 52 clubes de todo o país e, a gigante maioria, carrega o mesmo sonho dos atletas mogimirianos.

“Eu sonho em estar em uma Olímpiada desde criança e meu foco fica cada vez mais forte. Quero nadar este Maria Lenk como se estivesse já no Japão, para seguir forte. Sei que a concorrência é pesada, mas também acredito demais no meu potencial e, o mais importante, no nosso trabalho em equipe”, frisou Conrado. O nadador estreou no Troféu Maria Lenk em 2012. Foi apenas o 36º colocado nos 200 medley. Em 2013, voltou à competição, alcançando a 18ª posição nos 400 medley. A evolução estava clara. Depois, em 2014, ficou com o oitavo lugar nos 200 medley e com os 14º nos 200 costas. Em 2015, mesmo com dengue, ficou na 15ª posição nos 200 medley e em 21º nos 100 costas.

Voltou com tudo em 2016, obtendo as chamadas ‘Finais A’ nos 400 medley (sétimo) e nos 200 medley (oitavo). Em 2017, voltou a ser o sétimo nos 400 medley, ficando também em 11º nos 200 medley e em 12º nos 200 costas. No ano passado, Conrado repetiu a sétima posição nos 400 medley e ainda foi o nono nos 200 medley. Em 2019, terá o seu recorde de provas em um mesmo Maria Lenk, com quatro disputas por medalha em jogo.

“Evoluir é uma constante para qualquer nadador de alto rendimento. Não importa se você é o Michael Phelps com suas inúmeras medalhas olímpicas ou se é um nadador que apenas sonha em chegar lá. Você tem que estar sempre focado em melhorar, melhorar, melhorar. E eu quero chegar lá, em um pódio de Maria Lenk”, cravou Cornado. Seus companheiros de equipe em 2019 são os mesmos de 2018. Tomas e Bárbara apenas estrearam no ano passado e, agora, chegam com mais bagagem para uma das competições mais importantes da natação sulamericana. O trabalho da Free Play é desenvolvido com o patrocínio da Prefeitura Municipal de Mogi Mirim, Colégio Conectado, Gonçalves Avenida Society, Ótica Líder, Sucos Alvorada, Tradibom e VSwim e apoio do Laboratório 22 de Outubro e da Clínica Vitallis.

AGENDA DE PROVAS NO MARIA LENK

Conrado Coradi Lino

200 metros livres                       16 de abril
100 metros borboleta               17 de abril
400 metros medley                   18 de abril
200 metros medley                   20 de abril

Tomas Coradi Lino
50 metros costas                        20 de abril

Bárbara Cecato Barboza
200 metros peito                       17 de abril
1.500 metros livres                   18 de abril

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *