Esportiva x Rio Branco: Tigre tem mais vitórias no duelo

Esportiva Itapirense e Rio Branco se encontram nesta quarta-feira, dia 1º de maio, às 15h00, no estádio Chico Vieira. O duelo será o quinto na história entre as agremiações. Em quatro jogos, duas vitórias do Tigre, uma da Vermelhinha e um empate. O primeiro confronto na história entre Rio Branco e Esportiva Itapirense aconteceu em 9 de agosto de 2008.

Pela quinta rodada da primeira fase da Copa Paulista, a Vermelhinha venceu o Tigre por 4 a 1 no estádio Chico Vieira, em Itapira. Este foi o maior placar registrado na história do confronto. O time de Americana saiu na frente, com gol de Lincom. O atacante, maior artilheiro da trajetória profissional do Rio Branco, com 34 gols, ao lado de Marcelinho Paraíba. Porém, com dois gols de Juari, um de Paulo Henrique e outro de Fabio Duarte, a Esportiva virou e venceu o jogo.

Em 2014, pela Série A2, o Rio Branco levou a melhor sobre a Esportiva | Fotos créditos: Sanderson Barbarini

No segundo turno, em Americana, o Rio Branco deu o troco e venceu por 1 a 0, com mais um gol de Lincom. Em 2011, as equipes voltariam a se enfrentar pela Copa Paulista, mas o Rio Branco desistiu da competição. Em 2012, os clubes se encontraram pela primeira vez em um Campeonato Paulista. Na Série A3, empataram em 0 a 0 na última rodada da primeira fase. A Esportiva foi eliminada e o Tigre seguiu seu caminho até o título do torneio. Em 2014, os caminhos se cruzaram na Série A2.

Acervo Histórico: Esportiva perto de gols centenários

Esportiva desafia o líder em busca da reabilitação

Na quarta rodada, o Rio Branco venceu a Vermelhinha por 3 a 0, no Décio Vitta. Rafael Longuine (que depois passaria pelo Santos), Otacilio Neto (aquele, ex-Corinthians) e Pedrão (também aquele, ex-Grêmio Barueri), marcaram os gols do Tigre. A Esportiva, treinada à época por Paulinho Ceará, contava com Finazzi no time titular e o atacante Anderson Turco, hoje um dos destaques do futebol amador de Mogi Mirim, entrou no segundo tempo, exatamente na vaga de Finazzi. A Esportiva ainda contava com o experiente goleiro Adinam (ex-União São João de Araras), enquanto o Rio Branco tinha como auxiliar, Raphael Pereira, atual técnico do time principal.

CARIOBA

O futebol de Americana já contou com outros nomes tradicionais. Vasco da Gama, Sete de Setembro, Americana EC, Flamengo e Carioba estão entre os mais antigos. Fundado em 9 de julho de 1914, o Club Recreativo e Sportivo Carioba foi outro adversário na era profissional da Esportiva Itapirense. Em 1969, os clubes disputaram a Terceira Divisão de Profissionais, equivalente ao nível em que hoje se encontra Esportiva e Rio Branco.

No dia 14 de setembro, pela sexta rodada da primeira fase, o Carioba foi até o estádio Coronel Chico Vieira, em Itapira. Uma tarde de show, com direito a três gols de Wilson Foraciepe e outros dois de Ronoel. O triunfo, porém, não foi contabilizado na campanha, já que o clube de Americana pediu a desistência no meio do torneio. O jogo do segundo turno jamais aconteceu. E os 5 a 0 ficaram como o único placar de um jogo da Esportiva contra outro time de Americana que não seja o Rio Branco.

O Carioba, time ligado à indústria têxtil e de um dos principais bairros da cidade, jogava com um uniforme principal semelhante ao do São Paulo, com a cor branca em destaques e listras em vermelho e preto na horizontal. O calção era vermelho. A aventura no profissionalismo foi curta, mas, suficiente, para cruzar seu caminho com a Esportiva.

Fotos créditos: Sanderson Barbarini